EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

"Está feito": Johnson assinou o acordo pós-Brexit

Boris Johnson
Boris Johnson Direitos de autor Leon Neal/AP
Direitos de autor Leon Neal/AP
De  Euronews
Publicado a Últimas notícias
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O primeiro-ministro britânico assinou o documento que regula as relações entre Bruxelas e Londres

PUBLICIDADE

O primeiro-ministro britânico Boris Johnson assinou esta quarta-feira o acordo comercial e de cooperação com a União Europeia, abrindo caminho para um novo relacionamento com o bloco e finalmente completar o Brexit.

"Ao assinar este pacto, estamos a cumprir o desejo soberano do povo britânico de viver sob as suas próprias leis, elaboradas pelo seu próprio parlamento eleito", disse Johnson numa mensagem divulgada no Twitter.

O governo britânico ratificou o tratado com esta assinatura, enquanto as duas câmaras legislativas esperam concluir o processo de tradução dos compromissos assumidos hoje em Bruxelas para o direito britânico.

"O acordo está feito."

Com 521 votos a favor e 73 contra, a Câmara dos Comuns aprovou o acordo também esta quarta-feira e espera-se que a Câmara dos Lordes dê a sua aprovação nas próximas horas.

A Presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, e o Presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, tinham assinado previamente o texto durante a manhã. O documento foi levado de Bruxelas para Londres num avião da Força Aérea Britânica.

As disposições do pacto entrarão em vigor após o fim do período de transição de Brexit às 23.00 GMT desta quinta-feira, 31 de dezembro.

As 1.246 páginas do novo tratado cobrem o comércio entre os dois lados do Canal, a cooperação em áreas como a segurança e os direitos dos cidadãos, a partir de 2021,.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Reino Unido procura reconstruir as relações com a Europa

Reino Unido prepara-se para uma mudança política com o Partido Trabalhista a tentar uma vitória eleitoral histórica

Afinal, Nigel Farage vai concorrer às eleições no Reino Unido