Última hora
This content is not available in your region

Ateliês de artesanato ajudam a empoderar mulheres espanholas

Access to the comments Comentários
De  Carlos Marlasca
euronews_icons_loading
Ateliês de artesanato ajudam a empoderar mulheres espanholas
Direitos de autor  ©
Tamanho do texto Aa Aa

O que antes era apenas um hobby permitiu a Helena Arguello encontrar uma oportunidade de negócio. Deixou de lado o trabalho para criar os filhos e dedica-se ao fabrico artesanal de brinquedos. Para isso, muito ajudou a participação em "Enraizadas", um ateliê para 20 mulheres na Serra de Madrid: "Serviu-me para trazer o meu próprio projeto para a terra, ver quais as dificuldades, qual o valor que tem isto que faço, algo que antes não via. Estava um pouco no ar, não percebia nada de marketing, nem contabilidade, nem despesas", conta a mulher.

Karmele Angulo, que trabalha em bijutaria e esmalte, também participou. Estes dias serviram para que as participantes criassem uma associação de mulheres artesãs, regida por valores feministas e de cooperação: "Chegámos com os nossos pequenos projetos, mas percebemos que em grupo podemos fazer mais coisas e que, sendo mais ativas, podemos também ser mais visíveis", conta.

A associação viu-se limitada pela pandemia. O ateliê em que participaram estas mulheres fomenta os projetos sustentáveis. A ideia é que possam contactar com pequenas empresas já consolidadas para melhorara formação e as possibilidades de negócio.

Impedir a desertificação

Ao não ter grandes empresas, a localidade em que trabalham, Fresnedillas de la Oliva e a zona à volta também melhoraram as perspetivas com o impulso dado às mulheres, impedindo a desertificação, como explica Andrés Rapaport: "É ideal para esta zona, porque nos permite mantê-la com gente e continuar a crescer sem afetar este nosso património que é o contacto com a natureza".

Aqui, prepara-se a segunda edição do ateliê da Enraizadas. Em 2015, começaram a apoiar também mulheres empreendedoras fora do âmbito rural.

"Não procuramos o sucesso tal como ele é geralmente entendido pela sociedade. Para nós, o êxito é que uma mulher possa viver dignamente do seu trabalho, de algo que goste de fazer. Que possa compatibilizar a vida, que é muito importante, com o trabalho", diz Lourdes Jiménez, responsável de comunicação do Grupo Tangente, que promove os ateliês.

Por primera vez, este ano, o projeto é alargado a todo o país, por via digital.

Nome do jornalista • Ricardo Figueira