EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

UE quer melhores condições para refugiados na Bósnia

UE quer melhores condições para refugiados na Bósnia
Direitos de autor Kemal Softic/Copyright 2021 The Associated Press. All rights reserved.
Direitos de autor Kemal Softic/Copyright 2021 The Associated Press. All rights reserved.
De  euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Comissária europeia dos Assuntos Internos, Ylva Johansson, visita campos de refugiados em Lipa, na Bósnia, e pede habitações "dignas"

PUBLICIDADE

A visita aos Balcãs da Comissária europeia dos Assuntos Internos, Ylva Johansson volta a colocar os holofotes sobre os campos de refugiados e migrantes na Bósnia-Herzegovina.

As condições de vida nos campos de Lipa, na Bósnia ocidental, melhoraram com a instalação de tendas militares que albergam cerca de 1000 pessoas.

Após o incêndio de dezembro, estes migrantes lutam por se fazerem ouvir.

Um migrante afegão conta que "as condições em Lipa são melhores agora do que antes, porque temos aqui tendas, temos um lugar melhor. Vai estar um pouco frio, por isso esperamos arranjar um aquecedor".

A União Europeia apoiou a criação do campo provisório de Lipa, no entanto, Ylva Johansson tem manifestado a frustração do Executivo Europeu com o fracasso das autoridades locais em dar aos migrantes uma habitação alternativa e "digna".

Todos os anos, milhares de migrantes chegam à Bósnia com o objetivo de chegar à Croácia e daí, partirem para a Europa Ocidental em busca de uma vida melhor.

O governo bósnio tem vindo a ser criticado, nos últimos anos, por maltratar os milhares de pessoas que ali chegam, muitas a fugir da guerra, de perseguições ou da pobreza.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Ex-refugiado compra abrigo que o acolheu

Canárias recebem dezenas de migrantes por dia e já duplicaram centros de acolhimento

Lampedusa está sobrecarregada depois de receber mais de 1000 migrantes em 24 horas