Última hora
This content is not available in your region

Fukushima na sombra da radiação

Access to the comments Comentários
De  euronews
euronews_icons_loading
Fukushima - Tomioka, Japan
Fukushima - Tomioka, Japan   -   Direitos de autor  Hiro Komae/Copyright 2021 The Associated Press. All rights reserved
Tamanho do texto Aa Aa

São cidades fantasma, ou quase. Dez anos depois do desastre nuclear de Fukushima, a vida pouco ou nada mudou na costa ocidental do Japão. Depois da catástrofe, aproximadamente 165 mil pessoas foram deslocadas - algumas partiram de livre vontade, outras foram obrigadas.

Nos últimos anos, várias zonas foram novamente declaradas habitáveis pelas autoridades - após um trabalho intensivo de descontaminação - , mas ainda existem regiões interditas em todas as cidades costeiras.

É o caso de Tomioka: tinha 16 mil habitantes antes do acidente nuclear, hoje tem 1600. Yuta Hatakeyama, tinha 14 anos quando a família teve de deixar a casa para trás - as memórias são agridoces. "Na altura do Festival das Flores de Cerejeira, este caminho costumava estar cheio de barracas de comida e de pessoas..."

A estrada está bloqueada com cones vermelhos até hoje. Nas proximidades, ainda existem sacos de solo contaminado à espera de tratamento. As autoridades planeiam reabilitar a zona até março de 2023, o mais tardar.

A sombra do acidente nuclear está constantemente presente devido à radiação. As pessoas que ficaram e aquelas que decidiram regressar têm dificuldade em criar laços e formar uma comunidade.

Em Namie, a cerca de dez quilómetros de Tamioka, Masakazu Daibo decidiu reconstruir a vida no ano passado - recorrendo a ajudas do Estado. Depois de 9 anos em Tóquio regressou para tomar conta do restaurante do avô. Teve de destruir e de reconstruir tudo, mas os clientes ainda hesitam em provar as enguias.