Última hora
This content is not available in your region

Mais católicos do que protestantes na Irlanda do Norte?

De  euronews
euronews_icons_loading
Mais católicos do que protestantes na Irlanda do Norte?
Direitos de autor  PETER MORRISON/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved.
Tamanho do texto Aa Aa

Em 1921, a Grã-Bretanha dividiu a Irlanda.

A maioria da população da Irlanda do Norte, que é protestante, quer permanecer sob o domínio britânico, enquanto a maioria dos católicos é a favor da unificação.

As tendências demográficas sugerem, no entanto, que este próximo recenseamento poderá acelerar o processo de unificação.

"Metade das crianças em idade escolar são católicas e apenas um terço são protestantes. Agora, ao longo do tempo, elas vão trabalhar para até chegar ao eleitorado, ou seja, não são eleitores nesta fase, mas vão tornar-se eleitores. Portanto, o que nos diz é que, a dada altura no futuro, o número de católicos na Irlanda do Norte vai ser maior do que o número de protestantes e isso pode muito bem ser o que vamos descobrir quando tivermos os resultados do recenseamento", revela o investigador Paul Nolan.

Em tempos a divisão era de 60/40 a favor dos protestantes. Os Censos de 2011 mostraram que a diferença tinha diminuído significativamente para apenas três por cento.

Na estrada Shankill, na zona pró-Britânica e protestante, diz-se que uma maioria católica não significa automaticamente uma Irlanda unida.

O conselheiro do Partido Unionista Progressivo, Billy Hutchinson, afirma que "Só porque há mais católicos não quer dizer que eles queiram uma Irlanda unida. Quer dizer que eles vivem num país que tem direitos sociais e têm, também, o Serviço Nacional de Saúde. As pessoas tomarão as suas decisões com base neles e não em qualquer outra coisa. Podemos falar de tendências. É uma questão de, o que é que as tendências significam realmente? Saberemos isso quando virmos os resultados dos Censos".

Um inquérito, de 2016, revelou que há agora mais católicos do que protestantes nos locais de trabalho

Os defensores da unificação dizem que o próximo censo e as consequências do Brexit estão a aumentar as exigências, de ambos os lados, por uma Irlanda unida.

"Eles veem os danos que o Brexit tem causado e continuará a causar e penso que ambos os unionistas, não muitos, mas alguns significativamente estão a começar a participar nesta conversa sobre como será uma nova Irlanda e penso que os resultados dos censos irão fazer avançar esse debate", conclui o deputado do Sinn Féin, John Finucane.

"Há grandes expectativas de que este recenseamento mostre o número de católicos a ultrapassar o número de protestantes, pela primeira vez em mais de 300 anos. Partindo do princípio de que é esse o caso, os que são a favor de uma Irlanda unida poderão intensificar, nos próximos anos, a sua campanha para a unificação. O quadro deverá tornar-se claro nos próximos 12 meses", relata o jornalista da euronews Ken Murray.