Última hora
This content is not available in your region

Polónia aperta medidas de restrição no combate à terceira vaga

De  Bruno Sousa
euronews_icons_loading
Covid-19 na Polónia
Covid-19 na Polónia   -   Direitos de autor  Czarek Sokolowski/Copyright 2021 The Associated Press. All rights reserved.
Tamanho do texto Aa Aa

A Polónia atravessa o momento mais complicado desde o início da pandemia e este sábado o número de novos casos de covid-19 superou os 30 mil pelo terceiro dia consecutivo. O governo apontou o dedo à variante britânica do vírus e apertou as medidas de restrição. O comércio não essencial fechou as portas e a partir de segunda-feira, creches e jardins-de-infância também o farão.

Mateusz Morawiecki, primeiro-ministro polaco, admitiu que estavam a um "pequeno passo de ultrapassar os limites" do sistema de saúde e "deixar de poder tratar convenientemente os pacientes", acrescentando que "precisavam de fazer tudo para evitar esse cenário".

Fazer tudo não implica, por enquanto, limitar as celebrações religiosas que são para manter num dos países mais católicos da Europa.

Na Bélgica, o comércio não essencial voltou a abrir mas com novas regras, como a obrigatoriedade de fazer uma marcação prévia. Já salões de beleza e escolas fecharam portas. O número de casos confirmados de covid-19 no país cresceu 40% na última semana. À semelhança do que acontece na Polónia, também aqui a estirpe britânica é vista como a responsável pela nova subida.

Em sentido contrário, Portugal mantém os números em baixa e a prioridade atual passa pela vacinação. Este fim de semana, cerca de 78 mil professores e funcionários do pré-escolar e do primeiro ciclo de ensino recebem a primeira dose da vacina. De acordo com o primeiro-ministro, António Costa, em Abril o país vai "triplicar o esforço de administração de vacinas".