EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

George Floyd morreu de asfixia, confirma especialista em tribunal

George Floyd morreu de asfixia, confirma especialista em tribunal
Direitos de autor Court TV via AP, Pool
Direitos de autor Court TV via AP, Pool
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Médico pneumologista testemunhou, no julgamento de Derek Chauvin, que o óbito se deveu à pressão exercida pelo ex-polícia no pescoço da vítima.

PUBLICIDADE

Um pneumologista confirmou em tribunal, esta quinta-feira, que a morte de George Floyd se deveu a asfixia. Martin Tobin testemunhou que "Floyd morreu devido a um baixo nível de oxigénio, que, como vemos, causou danos no cérebro e também uma arritmia, que provocou a paragem do coração".

De acordo com o especialista, em maio do ano passado, a respiração de Floyd foi restringida de forma severa enquanto Derek Chauvin e outros dois polícias imobilizavam o homem de 46 anos de barriga para baixo, com as mãos algemadas nas costas e o rosto contra o chão.

Para o clínico, a morte do norte-americano deveu-se à força exercida pelo joelho do agente no pescoço da vítima, uma pressão equivalente de 41,5 kg.

Após terem sido levantadas dúvidas sobre o contributo do consumo de drogas para o óbito, o médico afirmou em julgamento que "uma pessoa saudável" submetida às mesmas circunstâncias também teria morrido.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Polícia de Memphis encerra "Unidade Escorpião" devido ao homicídio de Tyre Nichols

Marchas assinalam aniversário da morte de George Floyd

Biden quer Congresso a fazer reformas às práticas policiais