Última hora
This content is not available in your region

Ministros do G7 reunidos em Londres

euronews_icons_loading
Ministros do G7 reunidos em Londres
Direitos de autor  Ben Stansall/AFP
Tamanho do texto Aa Aa

O Secretário de Estado norte-americano chegou a Londres para participar na reunião dos ministros dos Negócios Estrangeiros do G7. O encontro tem como pano de fundo o desejo da administração Biden de restabelecer laços estreitos e de cooperação com os aliados dos Estados Unidos.

A recuperação económica e as questões que dominam a agenda internacional vão marcar a primeira reunião presencial do grupo (Alemanha, Canadá, Estados Unidos, França, Itália, Japão e Reino Unido) desde o início da pandemia.

Para o anfitrião, Dominic Raab, a necessidade de cooperação global "nunca foi tão grande". Na antecipação do encontro, falou na preocupação com a “ameaça” que a Rússia representa na fronteira com a Ucrânia e com a situação do principal opositor de Vladimir Putin. “O ataque a Alexei Navalny com novichok é um ataque com armas químicas. Penso que é um motivo de grande preocupação, é uma questão de armas químicas e não apenas uma questão de direitos humanos”, sublinhou o ministro britânico. A utilização da internet, particularmente pela Rússia, China e Irão é outro dos assuntos em destaque na cimeeira. "No Reino Unido temos uma grande vantagem em relação à alta tecnologia, que não utilizamos apenas na exploração de oportunidades comerciais. Também nos certificamos de que a nossa resiliência e a resiliência dos nossos aliados é reforçada", defendeu Raab.

O encontro em Londres vai preparar o terreno para a cimeira dos sete países mais ricos do mundo, marcada para o próximo mês. O Reino Unido vai aproveitar a cimeira anual do G7 na Cornualha, no sudoeste de Inglaterra, para afirmar o seu lugar na cena internacional. O encontro vai marcar a primeira visita de Joe Biden à Europa desde que foi eleito presidente dos Estados Unidos.