Última hora
This content is not available in your region

"Picasso Ibero" oferece uma nova perspetiva da obra do artista

euronews_icons_loading
"Picasso Ibero" oferece uma nova perspetiva da obra do artista
Direitos de autor  ESRTVE
Tamanho do texto Aa Aa

Pablo Picasso volta a brilhar em Santander, no norte de Espanha, através da exposição "Picasso Ibero", no Centro Botín.

A coleção em exibição integra mais de 200 peças e propõe transportar os visitantes até às raízes da inspiração do genial artista espanhol, que ele próprio descobriu numa visita ao Museu do Louvre, em Paris, e depois oferece numa viagem de confrontos pelo desenvolvimento do trabalho de Picasso.

A exposição resulta de uma colaboração do Centro Botín com o Museu Nacional Picasso-Paris, tem curadoria da francesa Cécile Godefroy, uma especialista na obra do espanhol, que nos conta ser esta "a primeira vez" que é explorado "durante um tão longo período a relação entre Picasso e as suas próprias raízes"."As espanholas, mas sobretudo as raízes andaluzes", sublinha.

A colaborar com Cécile Godefroy, nesta exposição, está o historiador espanhol Roberto Ontañon Peredo.

O curador adjunto explica-nos que a Arte Ibera "é uma arte arcaica, da proto-história espanhola, que Picasso descobre no Museu do Louvre e que teve um tal impacto na sua pessoa e na sua obra que o ajudará naquele momento de plena transformação artística, desde a forma neoclássica ao protocubismo".

"É uma arte que, curiosamente, tendo mais de dois mil anos, dará uma contribuição fundamental ao nascimento das vanguardas artísticas do século XX", acrescenta Roberto Ontañon Peredo.

De momento, de acordo com as regras em vigor de contenção da epidemia de Covid-19 na região da Cantábria, os museus podem ser visitados, com a lotação das respetivas salas e espaços públicos reduzida a 50% da capacidade normal.

Se a Covid-19 o permitir, a exposição "Picasso Ibero" vai manter as portas abertas até 12 de setembro no Centro Botín, em Santander.