Última hora
This content is not available in your region

Público voltou a dançar ao vivo num concerto em Portugal

euronews_icons_loading
Concerto-teste de Pedro Abrunhosa em Braga
Concerto-teste de Pedro Abrunhosa em Braga   -   Direitos de autor  CARLOS COSTA / AFP
Tamanho do texto Aa Aa

Portugal realizou ontem o primeiro concerto-teste com público ao vivo. Aconteceu em Braga e juntou 400 pessoas para ver de pé e dançar ao som de Pedro Abrunhosa.

Ontem em Braga! #eventopiloto Ph. @hugo_abu

Posted by Pedro Abrunhosa on Saturday, May 1, 2021

Foi o segundo teste ao regresso dos espetáculos ao vivo depois de uma atuação do humorista Fernando Rocha, na mesma cidade e igualmente perante 400 pessoas, mas numa plateia com cadeiras.

Com os espetáculos culturais de novo autorizados já este fim de semana até 22h30. Os "grandes eventos exteriores e interiores" estão previstos para 19 de maio, mas ainda dependentes de autorização da Direção-geral de Saúde (DGS).

Um terceiro teste, de novo um concerto de música, mas agora com quatro bandas de rock, está previsto para 8 de maio, em Coimbra.

Será o primeiro com 1.000 pessoas, que irão ficar de pé, e tem no cartaz os Anaquim, os Twist Connection, os Birds Are Indie e Portuguese Pedro.

O objetivo destes concertos-teste, coorganizados com a Associação de Promotores de Espetáculos e Eventos (APEFE), a Associação Portuguesa de Festivais de Música (APORFEST) e a Associação Portuguesa de Serviços Técnicos para Eventos (APSTE), é "obter os estudos clínicos pelas autoridades de saúde que permitam o aumento das lotações de salas de espetáculos e a viabilidade de grandes eventos, como os festivais ou festas da cidade", lê-se na nota da Câmara Muncipal de Coimbra, outro dos coorganizadores.

Os bilhetes para o terceiro evento-teste têm o preço de €2 e inclui um teste ao SARS-CoV-2, que é obrigatório e agendado no momento da compra do bilhete, para ser feito no dia do espetáculo pela Cruz Vermelha Potuguesa, também envolvida na organização destes eventos.

Critérios para se assistir ao evento-teste de Coimbra

– Exclusivo a residentes em Portugal;
– Faixa etária entre os 18 e 65 anos;
– Não pertençam a nenhum grupo de risco;
– Não tenham estado em contacto com infetados nos últimos 14 dias;
– Não tenham contacto regular com pessoas de risco;
– Não tenham estado infetados com COVID-19 nos últimos 90 dias;
– Aceitam realizar teste-rápido no dia do espetáculo, com entrada permitida apenas a quem testar negativo;
– Direito a reembolso se testar positivo;
– Consentimento tratamento de dados e permissão para serem contactados pela DGS.

Fonte: Câmara Municipal de Coimbra

França ainda sem espetáculos ao vivo

Com muitos outros países também já a realizarem espetáculos de teste para voltarem a ter público ao vivo, em França, onde o SARS-CoV-2 continua muito ativo (mais 24 mil novas infeções e 271 mortes esta sexta-feira) é emitido esta noite gratuitamente um concerto da orquestra de Paris através do portal de Internet do Museu d'Orsay.

Durante a semana, os músicos atuaram no espaço do museu como se estivessem num concerto ao vivo e registaram a atuação para a oferecerem sobretudo ao público francês, que continua privado de espetáculos culturais devido à Covid-19, pelo menos até 19 de maio, dia em que o Presidente Emmanuel Macron conta autorizar a reabertura das salas de espetáculo ao público se a epidemia permitir.

"A ideia é a de podermos entreter uma plateia virtual e deixa-la desfrutar deste concerto que já estava agendado. Ao mesmo tempo, o público poderá ver mais em detalhe algumas coisas a que não teria acesso de outra forma, isto é, os quadros, as esculturas, tudo aquilo que podemos mostrar além do que a orquestra oferece", explicou Sandra Bernhard, a programadora musical do Museu d'Orsay, em Paris.

Por entre estátuas de Rodin ou quadros de Courbet e contando também com a atuação da soprano francesa Sabine Devieilhe, a Orquestra de Paris atuou sob a liderança do maestro espanhol Pablo Heras-Casado, interpretando variações com base na obra de Maurice Ravel.

Este evento poderá viajar até às pessoas, por todo o mundo, e partilhar a beleza [da música de Ravel].

"Não podemos ir concertos nem a museus, mas podemos levar o museu e a música à casa de todas essas pessoas. É muito importante. Não é apenas o nosso modo de vida e a nossa paixão, é também a nossa missão.
Pablo Heras-Casado
Maestro

O concerto da Orquestra de Paris é emitido este sábado à noite, a partir das 20h30 (19h30, em Lisboa), e depois reemitido pelo canal Mezzo Live HD às 23 horas (22h em Lisboa).