Madrugada voltam aos palcos com "Chimes at Midnight"

Banda norueguesa Madrugada
Banda norueguesa Madrugada Direitos de autor Καλλιμάρμαρο
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Banda norueguesa de rock lançou novo álbum no início do ano, após 14 anos sem um disco de originais.

PUBLICIDADE

Catorze anos depois, os Madrugada voltam aos álbuns. "Chimes at Midnight", saiu no início do ano e marca o regresso do grupo norueguês de rock aos estúdios com a fórmula a que já habituaram o público.

Numa passagem por Atenas, onde vão tocar em setembro, os músicos revelam um pouco do que se pode esperar das novas canções.

O vocalista Sivert Høyem conta que se trata de "um típico álbum de Madrugada. É grandioso e belo e tem uma espécie de grande vibração emocional".

A sonoridade desejada foi encontrada a muitos quilómetros de distância da terra natal da banda.

"Fomos para Los Angeles, para um estúdio realmente icónico, o Sunset So und Studio. Gravámos em cerca de 10 dias. Foi feito à moda antiga. Gravámos em cassete e tudo", acrescenta Frode Jacobsen, o baixista da banda .

Após dois anos parados pela pandemia de covid-19, em fevereiro, os músicos noruegueses voltaram aos palcos e ao contacto com os fãs.

"Ao voltarmos agora, apreciamos realmente o público, apreciamos realmente o que estamos a tocar para as pessoas. Por isso, voltar tem sido espantoso para nós. A digressão na Europa foi realmente agradável para nós. Afinal de contas, há muitas pessoas a vir aos nossos espectáculos. A maioria está esgotada. Por isso, foi fantástico. Acho que gostamos e apreciamos isto ainda mais, agora", confessa o percursionista, Jon Lauvland Pettersen.

"Chimes at Midnight" não tem para já paragem prevista em Portugal, mas a banda conta com uma mini-digressão para aquecer o outono na Europa.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Concerto 'Carpathian Rhapsody' chega à televisão na próxima semana

Público voltou a dançar ao vivo num concerto em Portugal

Concerto de Ano Novo de Viena: Sem público, mas com amor e esperança