Última hora
This content is not available in your region

Multidões festejaram o desconfinamento nas ruas de Madrid e Bruxelas

De  Euronews
euronews_icons_loading
Bruxelas
Bruxelas   -   Direitos de autor  Olivier Matthys/Copyright 2021 The Associated Press. All rights reserved
Tamanho do texto Aa Aa

Desconfinar, sim, mas sem pressa. É a ordem na Chéquia, onde começa gradualmente a retoma das atividades.

Primeiro foram os alunos a regressar à escola e a reabertura de serviços como cabeleireiros, mas a partir de hoje todas as lojas e serviços estarão abertos.

Ainda existem regras anti-pendemia , mas a máscara deixa de ser obrigatória ao ar livre, exceto onde a distância entre as pessoas seja inferior a dois metros.

"Estamos realmente ansiosos por isso. Temos muitos clientes regulares e fieis, mulheres e homens, que também estão ansiosos pela abertura de lojas e pelo facto de poderem experimentar tudo na loja e olhar para as novidades", diz Jana Liskova, uma vendedora.

O país tem vindo a registar uma diminuição constante de novas infeções e quer manter essa dinâmica.

As imagens contrastam com as do fim de semana em Madrid, onde centenas de espanhóis celebraram o fim de seis meses de confinamentos, para grande preocupação das autoridades. O presidente da câmara da cidade lançou mesmo um apelo para que as pessoas se comportem com responsabilidade

O mesmo cenário na Bélgica, onde a polícia teve de intervir para dispersar as pessoas na noite de sábado, mas, na manhã seguinte, os ânimos estavam mais calmos.

Um jovem afirma: "Ao fim deste tempo, é normal a gente sair e soltar-se um pouco"

Uma outra cidadã, comenta: "Eu respeito as normas e acho que são necessárias, mas não tem de ser sempre".

Outra cidadã belga acrescenta: "Espero que isto não tenha impacto nos dias que aí vêm e que as pessoas aceitem o que lhes é dado e não tentem ultrapassar os limites".

O desejo de uma vida normal, é humano, mas os governos mantém a vigilância. Todos os dados são escrutinados para ver se estamos a caminhar para o fim da pandemia ou, apenas, a fazer mais uma pausa.