Última hora
This content is not available in your region

Uma descida dos diabos

Access to the comments Comentários
De  Ricardo Figueira
euronews_icons_loading
Uma prova sempre difícil
Uma prova sempre difícil   -   Direitos de autor  Michael Werlberger
Tamanho do texto Aa Aa

Esta pista na estância austríaca de Kitzbühel foi feita para ser descida de esqui. Mas, uma vez por ano, alguns temerários aventuram-se a descê-la a pé e a correr, na Descent Race. Um desafio para os joelhos que alguns repetem todos os anos. A prova é feita em pares: masculinos, femininos e mistos, sendo que um elemento faz a parte da descida e o outro faz a subida.

Maria Magadalena Überall e Elisabeth Pali venceram nos femininos: "Gostei do novo formato da corrida, com uma estafeta entre um especialista em descida e um especialista em subida. A inclinação é brutal, é um desafio, mas a vitória deixa-nos contentes", conta Maria Magdalena Überall.

ANDREAS AUFSCHNAITER
Um desafio para os joelhosANDREAS AUFSCHNAITER

80% de inclinação

Seja a descer ou a subir, é sempre uma proeza, já que a inclinação é de 80%. O ex-campeão mundial de trail running Markus Kröll e Lisa Kröll, vencedora em femininos em edições anteriores, ganharam nos pares mistos.

Michael Werlberger
The Descent RaceMichael Werlberger

Diz Lisa Kröll: "Esta corrida é sensacional, participei em todas as edições, venci duas vezes e fui segunda em 2019. Este ano quis voltar ao lugar cimeiro do pódio e dei tudo o que tinha, A Descent Race continua a dar-me grandes emoções".

Ao todo, atletas de sete países participaram na corrida. Cada elemento do par faz um troço de 350 metros, a subir ou a descer, com um desnível de 104 metros. Nos masculinos, a vitória deste ano pertenceu ao par Roland Döttlinger Florian Heuberger.