EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

"Não façam grandes grupos": O aviso dos governos para o Natal e Ano Novo

"Não façam grandes grupos": O aviso dos governos para o Natal e Ano Novo
Direitos de autor AP Photo
Direitos de autor AP Photo
De  euronews
Publicado a Últimas notícias
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Bélgica encerra cinemas e salas de espetáculo e Espanha impõe obrigatoriedade do uso de máscara na rua

PUBLICIDADE

São cada vez mais os países da União Europeia a impor restrições contra a covid 19 durante as festividades, numa altura em que a variante omicron já é responsável pela maioria das novas infeções.

Na Bélgica, concertos, cinemas e outros locais de entretenimento não vão abrir portas no próximo fim de semana.

O anuncio foi feito pelo chefe de governo, Alexander De Croo, o qual apelou a um Natal "com a maior cautela possível". O Primeiro-Ministro pediu também aos belgas que "limitem o número de pessoas ao redor da mesa, não façam grandes grupos e façam um teste antes.".

Clique aqui para assistir à Conferência de Imprensa do governo belga

Espanha "aperta" cerco ao vírus com máscara obrigatória

Em Espanha, usar máscara na rua vai voltar a ser obrigatório já a partir de amanhã. O governo de Pedro Sánchez quer também acelerar a vacinação para prevenir infeções graves. O governo reúne esta quinta-feira em Conselho de Ministros para aprovar as medidas anunciadas esta quarta-feira.

"A medida mais importante para enfrentar esta fase da pandemia é intensificar e acelerar o processo de vacinação, com destaque para a terceira dose de reforço.", disse o Primeiro-ministro numa conferência de imprensa ao país. Sánchez anunciou também que quer reforçar as equipas de vacinação com 150 equipas das forças armadas, para acelerar o processo.

Mas há quem recuse tomar a vacina. Barcelona foi esta quarta-feira à noite palco de mais um protesto. Centenas saíram à rua contra as medidas anunciadas pelo governo espanhol.

Do outro lado do Atlântico, nos EUA, foi autorizada a venda do primeiro comprimido contra a covid-19.

Desenvolvido pela Pfizer, o "Paxlovid" será vendido apenas com receita médica e deverá ser tomado no máximo cinco dias depois do surgimento os primeiros sintomas.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Vandalismo marca Passagem de Ano em França

Primeiras celebrações de Ano Novo

Quando o silêncio é arma contra a Covid-19: Catalunha fecha-se à noite