This content is not available in your region

Quando o silêncio é arma contra a Covid-19: Catalunha fecha-se à noite

Access to the comments Comentários
De  Francisco Marques
euronews_icons_loading
Quando o silêncio é arma contra a Covid-19: Catalunha fecha-se à noite
Direitos de autor  AP Photo

O agravamento da Covid-19 em Espanha levou várias regiões a retomar restrições apertadas para tentar travar o vírus e evitar nova saturação dos hospitais como aconteceu no ano passado.

A Catalunha, por exemplo, já tem em vigor desde esta sexta-feira à noite as novas restrições anticovid, onde se inclui um género de confinamento noturno, com o fecho de bares e restaurantes, para tentar evitar a estimativa de 50 mil casos diários em fevereiro só na comunidade se nada fosse feito.

O governo catalão decidiu por isso avançar de imediato e impor medidas fortes durante pelo menos duas semanas, afetando o Natal e Ano Novo, que se revelam importantes para a faturação de muitos estabelecimentos.

Jean-Christophe, de 46 anos, explora um bar em Barcelona e antecipa "uma situação complicada" porque "quando este tipo de medidas são implementadas os turistas deixam de visitar Barcelona e tudo é cancelado".

Os espanhóis tinham esperança de poder voltar a ter um Natal normal este ano, com cerca de 80% de vacinados, mas agora, com a aparição da variante Ómicron, mais resistente às vacinas e de maior transmissibilidade, não só o uso de máscaras na via pública está de volta como a diversão teve de parar.

As ruas de Barcelona já ficaram silenciosas esta sexta-feira à noite e as principais salas de concertos, como a Razzmatazz ou a Apolo, cancelaram a programação prevista para os próximos dias.

Uma em cada quatro pessoas hospitalizadas em Espanha com Covid-19 está na Catalunha, onde 30% das camas nos cuidados intensivos estão já ocupadas por doentes covid.

Com um novo recorde de casos diários diagnosticados na quinta-feira, mais de 15 mil, o governo regional apelou ao bom senso cívico. As novas regras limitam as reuniões a um máximo de 10 pessoas e o chefe do Governo, Pere Aragonès, pediu sexta-feira aos concidadãos para reduzirem ao máximo os jantares e os encontros sociais natalícios.

Além da Catalunha, também Múrcia, Canárias, Cantábria, Aragão e Astúrias estão a apertar as restrições anticovid nesta quadra.

Outras fontes • El País