EventsEventosPodcast
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Zelenskyy promete "reconstruir toda a Ucrânia"

Zelenskyy promete "reconstruir toda a Ucrânia"
Direitos de autor AP/AP
Direitos de autor AP/AP
De  Ricardo Figueira
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

"Cada rua de cada cidade, cada casa de cada ucraniano", disse o presidente.

PUBLICIDADE

Volodymyr Zelenskyy diz que "a Rússia anda há várias décadas a preparar-se para a guerra e tem como objetivo destruir a Ucrânia e a Europa como a conhecemos". No mais recente vídeo destinado a levantar a moral da população, o presidente ucraniano prometeu que, apesar de toda a destruição trazida pelos russos, a Ucrânia vai levantar-se e tudo vai ser reconstruído.

"As tropas russas continuam a destruir as nossas infraestruturas e as nossas cidades. As regiões de Kiev, Chernihiv, Sumy, Kharkiv, o sul e o Donbass. Mas sabem que vamos reconstruir tudo. Cada rua em cada cidade. Cada casa, cada apartamento de cada ucraniano. Depois da guerra, vamos conseguir fazer isso depressa. Vamos dirigir todos os nossos esforços nesse sentido, com a ajuda do resto do mundo. Já estamos a juntar fundos para que a Ucrânia possa viver", disse o presidente.

Vamos reconstruir tudo. Cada rua em cada cidade. Cada casa, cada apartamento de cada ucraniano.
Volodymyr Zelenskyy
Presidente da Ucrânia

Lavrov recebe MNE do Qatar

Em Moscovo, o chefe da diplomacia russa Serguei Lavrov recebeu a visita do homólogo do Qatar, que pediu que a Rússia ouvisse a voz da razão e evitasse um banho de sangue na Ucrânia. 

Lavrov respondeu dizendo: "Valorizamos a atenção que as autoridades do Qatar, em especial o Emir, estão a dar à atual situação. Valorizamos a o facto de o Qatar usar as oportunidades que tem para conseguir acordos sobre as questões atuais, tendo em conta a segurança pan-europeia, da Ucrânia e da Rússia".

Lavrov recebeu também uma proposta do Vaticano para mediar as negociações sobre o fim das hostilidades na Ucrânia, mas segundo o cardeal Pietro Parolin, secretário de Estado do Vaticano, a diplomacia russa ainda não deu qualquer sinal de estar disposta a aceitar esta mediação.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Ataque aéreo a Kharkiv faz pelo menos sete mortos. Zelenskyy condena brutalidade russa

Ataque russo com mísseis faz seis mortos em subúrbio de Kharkiv

Guerra na Ucrânia: dez mil pessoas obrigadas a abandonar Kharkiv