EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Rebeldes Houthis do Iémen anunciam cessar-fogo temporário

Rebeldes Houthis do Iémen anunciam cessar-fogo temporário
Direitos de autor أ ف ب
Direitos de autor أ ف ب
De  euronews com AP, Lusa
Publicado a Últimas notícias
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Decisão chega depois dos vários ataques condenados pela ONU

PUBLICIDADE

Os rebeldes Houthis do Iémen anunciaram um cessar-fogo de "três dias" dos "ataques com mísseis e drones [aparelhos não tripulados] no país e na Arábia Saudita, indicou, numa declaração difundida na rede social Twitter, o porta-voz dos rebeldes Mohammed Abdelsalam, que citou um responsável do movimento Mahdi al-Mashat.

Esta trégua, que inclui a troca de prisioneiros, poderá tornar-se num "compromisso definitivo e permanente", se a Arábia Saudita levantar "o bloqueio" ao Iémen, terminar com os ataques aéreos e retirar as "forças estrangeiras" de solo iemenita, acrescentou Mohammed Abdelsalam.

Em 2014, os Houthis revoltaram-se contra o Governo do Iémen e assumiram o controlo de Sanaa e de províncias do norte e oeste do país. No ano seguinte, uma coligação militar liderada pela Arábia Saudita envolveu-se no conflito.

Nações Unidas condenam ataques

Depois dos ataques, a ONU reagiu. "O secretário-geral condena firmemente a recente escalada do conflito no Iémen", declarou o porta-voz da ONU Stephane Dujarric, em comunicado.

"Quando o conflito entra no oitavo ano, o secretário-geral reitera os apelos a todas as partes para que exerçam contenção máxima" e "cheguem urgentemente a um acordo negociado para terminar o conflito", acrescentou.

O conflito no Iémen opõe, desde 2014, as forças governamentais, ajudadas por uma coligação internacional liderada por Riade, e o movimento político-religioso dos Houthis, oficialmente denominado Ansar Allahi, apoiados pelo Irão.

Na sexta-feira, os Houthis efetuaram novos ataques contra a Arábia Saudita, um dos quais causou, sem fazer vítimas, um gigantesco incêndio em instalações petrolíferas em Jeddah, nas proximidades do circuito de Fórmula 1, onde decorre o Grande Prémio da Arábia Saudita.

A coligação militar respondeu com uma série de bombardeamentos aéreos, na madrugada de sábado, contra zonas detidas pelos Houthis em Sanaa (norte) e Hodeidah (oeste), causando pelo menos oito mortos.

A ONU considera esta guerra, que já causou mais de 100 mil mortos, sobretudo civis, originou uma das piores crises humanitárias do mundo.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Dezenas de pessoas morreram esmagadas num evento de caridade no Iémen

Crescem as esperanças relativamenete à paz no Iémen

Meca: o apedrejamento do diabo marca o fim do Hajj e o início das celebrações do Eid al-Adha