EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Russófonos da Alemanha protestam contra "discriminação e assédio"

Manifestante russófona na Alemanha
Manifestante russófona na Alemanha Direitos de autor Boris Roessler/(c) Copyright 2022, dpa (www.dpa.de). Alle Rechte vorbehalten
Direitos de autor Boris Roessler/(c) Copyright 2022, dpa (www.dpa.de). Alle Rechte vorbehalten
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Centenas de cidadãos de origem russa protestaram em várias cidades alemãs contra a discriminação que dizem sofrer desde o início da guerra na Ucrânia

PUBLICIDADE

Centenas de russos que vivem na Alemanha concentraram-se no domingo, em Frankfurth e outras cidades do país, para exigirem o fim da discriminação que dizem estar a sofrer desde que começou a guerra na Ucrânia.

As palavras de ordem da comunidade russa foram "contra o ódio e o assédio".

Eddy, um dos manifestantes, diz: "Organizámos este protesto porque muitos de nós, russos, falantes de língua russa, somos discriminados e assediados devido à nossa cultura linguística. Foi por isso que nos reunimos aqui, para mostrar que não toleramos isto. Temos de separar a situação política atual da situação humana".

Outro manifestante, Ozan Yilmaz, afirma: "Estou aqui hoje porque sou a favor da paz". As crianças foram espancadas na escola porque falam russo, e isso não é aceitável".

Em Frankfurth, a polícia foi obrigada a separar os manifestantes russos de um grupo que se manifestava em apoio à Ucrânia.

Os manifestantes pró-ucranianos realizaram duas concentrações na cidade, com a presença de cerca de 2.500 pessoas. Manifestações semelhantes foram realizadas noutras cidades, como Hanôver e Estugarda.

Na Alemanha vivem 1,2 milhões de cidadãos de origem russa e 325 mil de origem ucraniana.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Estarão os europeus a discriminar os migrantes russos?

NATO lança centro de comando da Ucrânia na Alemanha

Alemanha "preocupada" com resultados das eleições francesas apesar da derrota da extrema-direita