This content is not available in your region

Confinamento prolongado gera descontentamento e violência em Xangai

Access to the comments Comentários
De  Bruno Sousa
euronews_icons_loading
Confimanento aumenta tensão em Xangai
Confimanento aumenta tensão em Xangai   -   Direitos de autor  HECTOR RETAMAL/AFP

Cresce o descontentamento com a tolerância zero do governo chinês com a covid-19 no momento em que a cidade de Xangai atravessa o pior surto da doença desde o início da pandemia. Os confrontos entre a população local e a polícia foram publicados nas redes sociais e deveram-se à recusa dos residentes em abandonar os seus apartamentos para que estes se tornassem uma zona de quarentena.

Desde o fim de março que a cidade com mais de 25 milhões de habitantes está em confinamento e o número de novos casos diários supera atualmente os 20 mil. O isolamento começa a fazer mossa na cidade mais rica da China e após mais de duas semanas fechados em casa, os locais queixam-se de dificuldades para encontrar comida ou medicamentos.

A indústria local também se ressente e já lançou um aviso, se a produção não for retomada até maio, as consequências serão graves e as perdas enormes. Um alerta global, ou não fosse Xangai o maior porto de mercadorias do planeta.

Além das tensões provocadas pela tolerância zero de Pequim com a covid-19, há ainda relatos de pessoas que se recusam a ser colocadas nos centros de isolamento previstos para quem contrai a doença por considerarem que estes não têm condições mínimas de higiene.