This content is not available in your region

Suspeito confessa a morte de Dom Philips e Bruno Pereira

Access to the comments Comentários
De  Euronews
euronews_icons_loading
"Pelado", suspeito da morte de Dom Philips e Bruno Pereira
"Pelado", suspeito da morte de Dom Philips e Bruno Pereira   -   Direitos de autor  Edmar Barros/Copyright 2022 The Associated Press. All rights reserved.

A polícia federal brasileira anunciou que o primeiro suspeito de envolvimento no desaparecimento do jornalista britânico e do ativista brasileiro, confessou a morte de Dom Philps e Bruno Pereira.

O diretor executivo da Polícia Federal, Eduardo Alexandre Fontes, disse, em conferência de Imprensa:

"O primeiro preso neste caso, conhecido por "Pelado", o senhor Amarildo, ele voluntariamente, no final da noite, resolveu confessar a prática criminosa. Ele narra com detalhes o crime realizado e aponta o local onde havia enterrado os corpos.

As autoridades consideram o caso parcialmente resolvido, faltando a identificação de outros possíveis envolvidos e esclarecer os motivos do crime.

Os corpos encontrados na floresta amazónica seguem esta quinta-feira para o Instituto Nacional de Criminalística da Polícia Federal, em Brasília, para identificação formal e análise de peritos.

Dom Phillips, era colaborador do jornal "The Guardian", e tinha viajado com Bruno Pereira para o Vale do Javari, perto das fronteiras do Brasil com o Peru e a Colômbia, para recolher material para um livro em que o jornalista estava a trabalhar sobre ameaças aos índios na região.

Ambos desapareceram no dia 5 de junho.

Araújo, que tinha trabalhado na região durante anos e a conhecia bem, tinha sido alvo de ameaças por parte de mineiros e pescadores ilegais, madeireiros e até traficantes de droga que operam no chamado Vale do Javari.

Phillips, por sua vez, era um jornalista veterano que vivia no Brasil há 15 anos, que colaborou com vários meios de comunicação internacionais, tais como o Financial Times, o New York Times e o Washington Post, entre outros.

Foram identificados como alegados autores do assassinato os irmãos, pescadores, Amarildo da Costa de Oliveira, conhecido como "Pelado", e Oseney da Costa de Oliveira, conhecido como "Dos Santos".

O primeiro foi detido na semana passada e o segundo na terça-feira.