This content is not available in your region

Gazprom reduz capacidade do gasoduto Nord Stream 1 para 20%

Access to the comments Comentários
De  euronews
euronews_icons_loading
Gazprom reduz capacidade do gasoduto Nord Stream em quase 20%
Gazprom reduz capacidade do gasoduto Nord Stream em quase 20%   -   Direitos de autor  Michael Probst/Copyright 2022 The Associated Press. All rights reserved

A Rússia está a utilizar o gás como arma económica e política - foi esta a declaração da Alemanha sobre o atual conflito energético. A acusação surge depois da empresa russa Gazprom ter reduzido a capacidade do gasoduto Nord Stream para 20%, na quarta-feira.O gigante energético russo justifica-se com uma operação de manutenção numa turbina. Mas, para Berlim, esta redução não tem base técnica e trata-se de um "jogo de poder".

O Kremlin explica que as sanções impostas contra a Rússia precipitaram esta redução no fornecimento de gás. Mas para muitos especialistas a atual crise energética tem uma explicação mais profunda.

Se existe uma decisão estratégica por parte da Gazprom e das autoridades russas de reduzir os fornecimentos de gás, sem intenção de aproximação da Europa, para aumentar esses fornecimentos e, quanto à utilização deste comércio como arma: eu diria que sim, esse elemento existe, porque não estamos a discutir a situação quanto às consequências na vida normal, mas sim no contexto do conflito em grande escala entre países, entre o Ocidente e a Rússia - que ninguém está a esconder.
Stanislav Mitrakhovich
Especialista - Fundo Nacional de Segurança Energética da Universidade Financeira - Federação Russa

Para evitar um risco de escassez no próximo inverno, os 27 membros da União Europeia chegaram a acordo para reduzir a procura de gás natural em 15%, até março de 2023.