Kosovo adia medidas contestadas pela minoria sérvia

Levantamento de bloqueio de estradas no Kosovo
Levantamento de bloqueio de estradas no Kosovo Direitos de autor Cleared
Direitos de autor Cleared
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Pristina adiou a lei que obriga os sérvios a terem matrículas automóveis do Kosovo aliviando a tensão que levou a bloqueios de estradas no domingo

PUBLICIDADE

As autoridades do Kosovo aliviaram as crescentes tensões étnicas no país, ao adiarem a controversa lei sobre a exigência de matrículas de veículos e cartões de identidade aos sérvios, que estava a desencadear motins por parte da minoria sérvia e levou ao bloqueio de estradas.

A decisão foi anunciada numa conferência de imprensa em que o primeiro-ministro kosovar acusou o presidente sérvio de estar por detrás da onda de tensão

"Concordámos em reunir em Bruxelas, em julho, mas o presidente Vucic adiou a reunião para o final de agosto. Provavelmente ele estava ocupado a planear os incidentes de ontem à noite", disse Albin Kurti.

Segundo o chefe do gabinete para o Kosovo do governo sérvio, Petar Petkovic, a Sérvia está pronta a participar nos diálogos com o Kosovo, liderados pela União Europeia (UE).

O responsável da política externa da UE, Josep Borrell, congratulou-se com esta mudança, acrescentando esperar que todos os bloqueios de estrada "sejam removidos imediatamente".

A força de intervenção das Nações Unidas (KFOR), que está no terreno, publicou uma nota dizendo que acompanha de perto a situação e continua fortemente empenhada na segurança do Kosovo.

#KFOR está a acompanhar de perto a situação no norte do Kosovo com organizações de segurança locais e internacionais. Sob o seu mandato da ONU, a KFOR continua fortemente empenhada na segurança, pronta a adotar as medidas necessárias para manter o #Kosovo em segurança.

O repórter da Euronews em Belgrado, Dušan Hadži Nikolić, acompanha esta subida de tensão entre Belgrado e Pristina: "As medidas são adiadas por um mês e todos esperam agora que Pristina e Belgrado possam chegar a uma espécie de acordo nos próximos dias e semanas até ao dia 1 de setembro, a fim de evitar que incidentes como os deste domingo, quando tudo estava muito tenso e perigoso, voltem a acontecer.

Nas semanas seguintes, veremos o que irá acontecer e como irá decorrer a implementação dessas medidas no primeiro de setembro".

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

"Não é momento para aumentar as tensões"

Aliança Atlântica apela a recuo das tensões nos Balcãs

Kosovo mais perto de aderir ao Conselho da Europa. Decisão final tomada em maio