This content is not available in your region

Carros de luxo russos acumulam-se no aeroporto de Helsínquia

Access to the comments Comentários
De  Euronews
euronews_icons_loading
Finlândia partilha 1.300 quilómetros de fronteira com a Rússia
Finlândia partilha 1.300 quilómetros de fronteira com a Rússia   -   Direitos de autor  Lauri Heino/Lehtikuva via AP, File

Acumulam-se às centenas. São Porsches, Mercedes ou Bentleys, entre outros. Os parques de estacionamento do aeroporto de Helsínquia, capital da Finlândia, albergam cada vez mais carros de luxo com matrícula russa estacionados, enquanto os proprietários rumam à Europa.

As imagens, que estão a correr mundo, são uma pedra no sapato do governo finlandês, que defende a proibição de entrada de cidadãos russos na União Europeia.

A lei do país, que se está a tornar numa zona de trânsito, impede a proibição total da entrada de cidadãos de uma nacionalidade particular. Para que isso pudesse acontecer, as sanções teriam de ser acordadas ao nível da União Europeia.

"A Finlândia é o primeiro país do Espaço Schengen para muitos russos. Chegam aqui com vistos Schengen emitidos por vários países da União Europeia e depois prosseguem viagem através do aeroporto de Helsínquia. Isto aumentou claramente desde que as restrições contra a Covid-19 na Rússia terminaram a 15 de julho. Há agora um claro boom tanto em termos turísticos como nos pedidos de novos vistos", explicou Pekka Haavisto, ministro dos Negócios Estrangeiros da Finlândia.

A primeira-ministra da Finlândia, Sanna Marin, disse que o país está a abrandar o processo de emissão de vistos para cidadãos russos.

A partir de 1 de setembro, a Finlândia vai limitar, parcialmente, o número de vistos turísticos atribuídos a cidadãos russos para 10% dos que são atualmente emitidos.

A Polónia e os Estados Bálticos - Estónia, Letónia e Lituânia - apoiam Sanna Marin. Consideram imoral que os russos circulem pela Europa como se fossem alheios à guerra na Ucrânia.

"Penso que é moralmente errado para os turistas russos voltar para a Rússia como se nada tivesse acontecido. O Estado Russo - e o Parlamento lituano reconheceu isso - comete genocídio", lembrou Gabrielius Landsbergis, ministro dos Negócios Estrangeiros da Lituânia.

A Lituânia pondera avançar com um embargo regional aos vistos para cidadãos russos e bielorrussos.

Os voos entre a União Europeia e a Rússia estão proibidos desde o final de fevereiro, mas se um turista entrar por terra pode circular livremente no Espaço Schengen.