This content is not available in your region

Rússia usou várias bombas de fragmentação

Access to the comments Comentários
De  Euronews
euronews_icons_loading
Bombas de fragmentação
Bombas de fragmentação   -   Direitos de autor  Mohammad Zaatari/AP2011

Desde o início da guerra que russos e ucranianos se acusam mutuamente de utilizarem bombas de fragmentação. Depois de seis meses de combates, o Observatório das Bombas de Fragmentação (Cluster Munition Coalition, CMC) confirmou que estas armas já foram usadas pelos dois lados, com a balança a inclinar-se fortemente para o lado russo. Marion Loddo, especialista em Minas Terrestres e Munições de Fragmentação deste observatório, conta que na Ucrânia houve centenas de ataques com estas munições que atingiram casas, hospitais e escolas e que provocaram 700 baixas durante o primeiro semestre do ano.

A organização não-governamental Human Rights Watch lembra que nenhum dos dois países aderiu à convenção que proíbe o uso destas armas de forma indiscriminada. Segundo a ONG, tudo indica que as forças ucranianas usaram munições de fragmentação “pelo menos duas vezes durante esta guerra".

Horas antes da publicação do relatório do Observatório das Bombas de Fragmentação, o embaixador russo na ONU acusou a Ucrânia de ter utilizado pequenas minas de plástico semelhantes a brinquedos, em zonas residenciais, e mostrou fotografias de alegadas vítimas destes ataques.