Rússia usou várias bombas de fragmentação

Bombas de fragmentação
Bombas de fragmentação Direitos de autor Mohammad Zaatari/AP2011
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Organismo de monitorização sublinha diferenças entre Moscovo e Kiev nesta guerra

PUBLICIDADE

Desde o início da guerra que russos e ucranianos se acusam mutuamente de utilizarem bombas de fragmentação. Depois de seis meses de combates, o Observatório das Bombas de Fragmentação (Cluster Munition Coalition, CMC) confirmou que estas armas já foram usadas pelos dois lados, com a balança a inclinar-se fortemente para o lado russo. Marion Loddo, especialista em Minas Terrestres e Munições de Fragmentação deste observatório, conta que na Ucrânia houve centenas de ataques com estas munições que atingiram casas, hospitais e escolas e que provocaram 700 baixas durante o primeiro semestre do ano.

A organização não-governamental Human Rights Watch lembra que nenhum dos dois países aderiu à convenção que proíbe o uso destas armas de forma indiscriminada. Segundo a ONG, tudo indica que as forças ucranianas usaram munições de fragmentação “pelo menos duas vezes durante esta guerra".

Horas antes da publicação do relatório do Observatório das Bombas de Fragmentação, o embaixador russo na ONU acusou a Ucrânia de ter utilizado pequenas minas de plástico semelhantes a brinquedos, em zonas residenciais, e mostrou fotografias de alegadas vítimas destes ataques.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Bombas não se calam em Severodonetsk

As marcas que as bombas de fragmentação russas deixam nos civis

ONU investiga evacuações e uso de bombas de fragmentação na guerra da Ucrânia