EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

Jornalista russo condenado a 22 anos de prisão por "alta traição"

Ivan Safronov, jornalista russo condenado a 22 anos de prisão
Ivan Safronov, jornalista russo condenado a 22 anos de prisão Direitos de autor AP/Moscow City Court
Direitos de autor AP/Moscow City Court
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O jornalista russo, Ivan Safronov, especialista em questões de defesa, foi condenado por um tribunal de Moscovo a 22 anos de prisão por "alta traição"

PUBLICIDADE

"Liberdade" e "Vania, amamos-te" foram os gritos ouvidos no tribunal, em Moscovo, quando foi proferida a sentença contra o jornalista russo, Ivan Safronov, especialista em questões militares.

Safronov estava acusado de alta traição e foi condenado a 22 anos de prisão. O jornalista rejeita a acusação e o advogado, Dmitriy Kachev, pede aos jornalistas que reflitam sobre o jornalismo na Rússia.

"Não posso chamar a esta sentença nada mais do que "inadequada". Palavras vulgarmente ditas como "ilegal" ou "injusto" não podem refletir todo o absurdo que aconteceu hoje e que todos nós testemunhámos. Ivan Safronov recebeu 22 anos - até agora - pelo seu trabalho jornalístico. Quero que cada um de vós [jornalistas russos], que está agora a olhar para mim, pense se vale a pena continuar com esta profissão - quando uma pessoa recebe 22 anos por ter feito o seu trabalho".

Ivan Safronov é acusado de transmitir a um perito russo-alemão de política, também detido na Rússia por "alta traição", informações sobre as operações militares em território sírio e, aos serviços de informação checos, elementos sobre a entrega de armas russas em África.

Safronov rejeita veementemente estas acusações.

O jornalista tinha anteriormente trabalhado para dois jornais nacionais russos, Vedomosti e Kommersant. Foi obrigado a demitir-se de Kommersant em 2019 e, em maio de 2020, tornou-se conselheiro do antigo chefe da agência espacial russa Roscosmos, Dmitry Rogozin.

O seu caso foi denunciado pelos seus antigos colegas como vingança pelos seus artigos sobre incidentes embaraçosos no exército russo.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Hunter Biden, filho de Joe Biden, condenado em julgamento por três crimes de posse de arma

Robert de Niro chama "palhaço" a Donald Trump à porta do tribunal

Andrew Tate vai a julgamento na Roménia por violação e tráfico de seres humanos