ONU vai apresentar resolução contra "referendos" russos impostos na Ucrânia

AFP
AFP Direitos de autor AFP
Direitos de autor AFP
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Nações Unidas e comunidade internacional condenam a anexação de territórios ucranianos por parte de Putin

PUBLICIDADE

As Nações Unidas vão apresentar uma resolução que condena os "referendos" russos para anexar território ucraniano. O presidente ucraniano deixou "preto no branco" que estes documentos quebram todas as relações que restavam com a Rússia.

Na última reunião do Conselho de Segurança da ONU, Volodymyr Zelenskyy disse que o "reconhecimento da Rússia dos pseudo referendos" e a implementação do chamado cenário da Crimeia, "significam que não há nada a conversar com o atual presidente da Rússia."

Linda Thomas-Greenfield, embaixadora dos EUA nas Nações Unidas, diz que os referendos são "farsas" e que foram planeados por Moscovo há algum tempo.

Também o Secretário de Estado norte-americano, Antony Blinken, condenou o passo da Rússia e voltou a afirmar que nunca o ocidente irá reconhecer a anexação dos territórios ucranianos.

O secretário-geral da NATO fala de "uma violação flagrante do direito internacional" e de "uma grave escalada de conflito", chamando aos referendos de "falsos referendos" e à estratégia de Putin uma "retórica nuclear". 

Os referendos começaram a ser distribuídos de porta em porta na semana passada, muitas vezes por oficiais armados. As cédulas perguntavam aos moradores se queriam que as zonas onde viviam fossem anexadas à Rússia. Perto de 98% das pessoas responderam que sim.

As bandeiras da Federação já estão colocadas nos edifícios na maioria do território de Zaporíjia, Kherson, Donetsk e Luhansk.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

"Referendos" continuam nas regiões ucranianas sob ocupação

"Referendos" nas regiões separatistas da Ucrânia em curso

Ataques russos na Ucrânia fazem pelo menos oito mortos