EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

"Referendos" nas regiões separatistas da Ucrânia em curso

"Referendos" decorrem nas regiões de Lugansk, Donetsk, Kherson e Zaporíjia
"Referendos" decorrem nas regiões de Lugansk, Donetsk, Kherson e Zaporíjia Direitos de autor AP/Copyright 2022 The Associated Press. All rights reserved
Direitos de autor AP/Copyright 2022 The Associated Press. All rights reserved
De  Euronews
Publicado a Últimas notícias
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Consultas populares decorrem até 27 de setembro e já foram apelidadas de farsa

PUBLICIDADE

Se os eleitores não vão às urnas, as urnas vão até aos eleitores. Nas regiões separatistas da Ucrânia iniciaram-se, esta sexta-feira, os chamados "referendos" sobre a anexação pela Rússia.

Em Lugansk, Donetsk, Kherson e Zaporíjia (sob controlo parcial das forças russas) respira-se democracia, pelo menos para o mundo ver.

Há urnas móveis disponíveis para que todos se possam pronunciar até à próxima terça-feira, mesmo que o desfecho já esteja claro em Moscovo.

O resultado "positivo" foi, aliás, profetizado a plenos pulmões pelo líder separatista de Donetsk, Denis Pushilin: "hoje está-se a fazer história. Todos os residentes do Donbas, que sobreviveram heroicamente a todos estes testes durante oito anos, estão envolvidos. As pessoas não foram desencorajadas pela escolha feita em 2014, pelo contrário."

As palavras, emotivas, foram reproduzidas à letra pelo homem forte de Kherson.

Também aqui, os moradores respondem à pergunta se querem ou não juntar-se à Rússia.

Cenário idêntico vê-se em Mariupol, que a Rússia ocupou depois de semanas de bombardeamentos que provocaram a morte de dezenas de civis.

A Ucrânia recusa baixar a guarda.

"Todos nós estamos a trabalhar para aumentar o apoio à Ucrânia em todo o mundo. Esta é a melhor resposta que podemos ter a par do que as nossas tropas estão a fazer no campo de batalha todos os dias e a cada minuto. Esta é a melhor resposta aos referendos, processos e ameaças da Rússia", sublinhou Oleksandr Kornienko, vice-presidente do Parlamento ucraniano.

As urnas fecham dentro de quatro dias, a 27 de setembro.

Nas regiões de Donetsk e Kherson a votação presencial ocorrerá apenas no último dia.

Para a presidente da Câmara Alta do Parlamento russo (Duma), Valentina Matviyenko, os residentes das áreas ocupadas estão a votar "pela vida ou morte."

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

ONU vai apresentar resolução contra "referendos" russos impostos na Ucrânia

Presidente da Ucrânia promete proteger soldados russos que se rendam

Estónia: proposta de estudo conjunto com a Rússia sobre o leito do rio Narva