EventsEventos
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

"Para parar a anexação é preciso travar Putin", avisa Volodymyr Zelenskyy

Volodymyr Zelenskyy, Presidente da Ucrânia.
Volodymyr Zelenskyy, Presidente da Ucrânia. Direitos de autor Genya Savilov/AFP or licensors
Direitos de autor Genya Savilov/AFP or licensors
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Vladimir Putin prepara-se para anexar unilateralmente mais quatro regiões ucranianas e o presidente Volodymyr Zelenskyy deixa aviso sobre a invasão

PUBLICIDADE

O Presidente da Rússia, Vladimir Putin, prepara-se para acolher na Federação as regiões ucranianas de Donetsk, Lugansk, Kherson e Zaporijia, numa cerimónia que se realiza, esta sexta-feira, em Moscovo.

O Presidente ucraniano, Volodymyr Zelesnkyy, diz que para "parar a anexação é preciso travar Putin".

"Todos no mundo compreendem bem o que esta tentativa de anexação significa na realidade. Não significará o que o Kremlin espera. Para parar isto, é preciso travar aquele, na Rússia, (Vladimir Putin) que quer mais a guerra do que a vida, a sua e a dos cidadãos russos", salientou o chefe de Estado ucraniano.

Já o Presidente americano, Joe Biden, voltou a reiterar que não reconhecerá esta anexação. “Os Estados Unidos nunca, nunca, nunca reconhecerão as reivindicações da Rússia no território soberano da Ucrânia. Os chamados referendos foram uma farsa, uma absoluta farsa os resultados foram fabricados em Moscovo”, referiu.

Genya Savilov/AFP or licensors
Joe Biden, Presidente dos Estados Unidos.Genya Savilov/AFP or licensors

Por sua vez, Kirill Stremousov, chefe adjunto da administração civil e militar de Kherson, demonstrou o seu contentamento.

"Felicitamos todo o povo russo em todo o mundo por esta grande celebração. Conseguimos! A região de Kherson, a região de Zaporíjia, e as repúblicas populares de Lugansk e Donetsk tornar-se-ão agora para sempre parte da Rússia", salientou.

AFP
Kirill Stremousov, chefe adjunto da administração civil e militar de Kherson.AFP

O Conselho de Segurança das Nações Unidas também votará, esta sexta-feira, uma resolução a condenar os "referendos" realizados na Ucrânia.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Após a anexação dos territórios a Ucrânia pediu a adesão acelerada à NATO

Último dia de “referendos” nas zonas ocupadas da Ucrânia

"Referendos" continuam nas regiões ucranianas sob ocupação