EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Iranianas reagem ao alegado fim da polícia da moralidade

Praça Enghelab, Teerão
Praça Enghelab, Teerão Direitos de autor ATTA KENARE/AFP or licensors
Direitos de autor ATTA KENARE/AFP or licensors
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Manifestantes apelam à mobilização para paralisar o Irão numa greve de três dias

PUBLICIDADE

Com ou sem a chamada "polícia da moralidade", o facto é que se avistam cada vez mais mulheres de cabeça descoberta nas ruas de Teerão. Há declarações que apontam para a extinção da unidade policial de controlo dos costumes islâmicos. O governo não confirma. As reações falam por si.

"A polícia da moralidade nunca teve significado nenhum para mim. Espero mesmo que seja abolida", dizia uma iraniana.

Outra salientava que "é muito melhor não haver essa polícia nas ruas. Há mais mulheres sem hijab, a decidir por elas próprias. É um avanço".

Há também quem realce que "o único objetivo desses agentes era restringir a liberdade das mulheres".

No entanto, poucos arriscam em falar em mudanças definitivas. Para já, apela-se à mobilização para paralisar o país numa greve de três dias.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Irão: Líder supremo preside ao cortejo fúnebre do presidente Raisi em Teerão

Milhares de iranianos reuniram-se em Tabriz para se despedirem do presidente Ebraham Raisi

Como é que o presidente do Irão foi parar a um helicóptero americano com mais de 40 anos?