EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Conservadores dos EUA e da Hungria unem forças

Viktor Orbán
Viktor Orbán Direitos de autor Szilard Koszticsak/MTI - Media Service Support and Asset Management Fund
Direitos de autor Szilard Koszticsak/MTI - Media Service Support and Asset Management Fund
De  Euronews com AP
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Budapeste acolhe, pela segunda vez, a versão europeia da CPAC, a principal conferência conservadora dos Estados Unidos

PUBLICIDADE

A versão húngara da conferência anual dos republicanos norte-americanos realiza-se hoje e amanhã em Budapeste. O encontro reúne vários líderes e partidos de extrema-direita.

No discurso de abertura, o primeiro-ministro húngaro disse que o seu país "é uma incubadora onde são feitas experiências sobre o futuro das políticas conservadoras". Viktor Orbán defendeu um movimento global de direita para derrotar as "elites progressistas" e comparou o liberalismo a um "vírus".

"Estamos todos a ser atacados, tanto na Europa como na América. Devo dizer-vos que este ataque não é de natureza económica. Estamos a lidar com uma arma biológica desenvolvida nos laboratórios liberais progressistas”, defendeu Orbán. 

Na conferência, foi transmitido um vídeo pré-gravado de Tucker Carlson. O antigo jornalista da Fox News, conotado frequentemente com a extrema-direita norte-americana, dizia a brincar que estaria pessoalmente no encontro se "alguma vez fosse despedido. O momento tornou-se viral nas redes sociais, porque Carlson foi despedido há cerca de duas semanas.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Grupo de reflexão húngaro reforça influência de Orbán em Bruxelas

Porque é que Orbán promete "barulho" no Twitter

EUA condenam discurso de Orbán sobre migrantes