Putin apela à "vitória" a partir da Praça Vermelha em Moscovo

Soldados russos marcham rumo à Praça Vermelha para o desfile militar do Dia da Vitória
Soldados russos marcham rumo à Praça Vermelha para o desfile militar do Dia da Vitória Direitos de autor Alexander Zemlianichenko/Copyright 2023 The AP. All rights reserved
Direitos de autor Alexander Zemlianichenko/Copyright 2023 The AP. All rights reserved
De  Nara MadeiraEuronews com DPA, ANSA, AFP, AP
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

No dia de celebração da vitória soviética sobre os nazis na II Guerra Mundial Putin apela à "vitória", na cerimónia na Praça Vermelha, em Moscovo.

PUBLICIDADE

No 78º aniversário da vitória soviética sobre a Alemanha nazi, na II Guerra Mundial, Vladimir Putin apelou à "vitória" na Ucrânia. 

Na visão do chefe de Estado russo o seu país é uma "vítima" da atual guerra contra a Ucrânia. Putin pediu mesmo um minuto de silêncio em memória "Em memória dos filhos, pais, avós" mortos nesta guerra e frisou a importância de ter presentes, na capital russa, os líderes do antigo bloco da URSS.

Hoje, a civilização encontra-se mais uma vez num ponto de viragem decisivo. (...) Uma verdadeira guerra foi desencadeada contra a nossa pátria. (...) Mas repelimos o terrorismo internacional, vamos proteger os habitantes do Donbass e garantir a nossa segurança.
Vladimir Putin
Presidente russo

A Rússia lançou uma ofensiva contra a Ucrânia - à qual chama de operação militar especial - a 24 de fevereiro de 2022, data em que invadiu o território deste país vizinho. Moscovo justificou, repetidamente, esta ação com a ameaça que representa a governação ucraniana, a quem chamou de nazis e terroristas, e dos seus aliados, pelo menos alguns deles, o "Ocidente", para o seu país.

As Nações Unidas confirmam que mais de 8700 civis morreram desde o início da invasão russa da Ucrânia, mas estima-se que os números reais sejam, consideravelmente, mais elevados.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

A eficácia da propaganda russa

Forças ucranianas dizem ter atingido navio russo Kommouna na Crimeia

Moscovo acusa Ucrânia e aliados ocidentais de esquema para financiarem atos terroristas na Rússia