EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Discotecas que arderam em Espanha não tinham licença

Uma das discotecas que ardeu em Múrcia
Uma das discotecas que ardeu em Múrcia Direitos de autor HANDOUT/AFP
Direitos de autor HANDOUT/AFP
De  Nara Madeira com AFP, AP
Publicado a Últimas notícias
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Discotecas que arderam em Múrcia, cidade de Espanha, tragédia na qual morreram 13 pessoas, não tinham licença.

PUBLICIDADE

Duas discotecas que arderam no incêndio de domingo, na cidade espanhola de Múrcia, e que vitimou 13 pessoas, não tinham licença camarária e tinham sido objeto de uma ordem de encerramento em janeiro de 2022. 

Foram, entretanto, localizadas as pessoas cujo paradeiro era desconhecido, estão todas vivas, e não há mais vítimas mortais a lamentar. 

No terreno prosseguia o difícil trabalho de identificação dos corpos, carbonizados. 

Trata-se do incêndio mais mortífero registado em Espanha, numa discoteca, desde 1990.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Espanha: 13 mortos confirmados no incêndio numa discoteca em Múrcia

Homem morre arrastado pela água nas inundações de Múrcia

Espanha: Sánchez quer que a comunidade internacional "exerça mais pressão" sobre Israel