EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Israel prepara-se para a frente de batalha na fronteira com o Líbano

Uma criança olha pela janela de um autocarro enquanto a sua família parte da cidade de Kiryat Shmona, no norte de Israel
Uma criança olha pela janela de um autocarro enquanto a sua família parte da cidade de Kiryat Shmona, no norte de Israel Direitos de autor Baz Ratner/Copyright 2023 The AP. All rights reserved.
Direitos de autor Baz Ratner/Copyright 2023 The AP. All rights reserved.
De  Euronews
Publicado a Últimas notícias
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Israel evacua povoações nas proximidades da fronteira com o Líbano e intensifica ataques aéreos em Gaza, enquanto a ofensiva terrestre está, por enquanto, suspensa.

PUBLICIDADE

Telavive ordenou a evacuação da cidade de Kiryat-Shmona, com uma população de 20.000 habitantes, na fronteira com o Líbano.

A evacuação de uma faixa de 2 km ao longo da fronteira, uma área que abrange perto de 30 municípios, tinha sido ordenada, anteriormente.

Ao mesmo tempo, há notícias de que unidades de reservistas israelitas entram na região fronteiriça.

Há sérias preocupações de que o norte de Israel possa tornar-se uma “segunda frente” de batalha, no caso de uma operação terrestre israelita em Gaza.

Até agora, o avanço terrestre em Gaza está suspenso, mas aumentam os ataques aéreos. O lado palestino acusa o Estado hebraico de atacar até mesmo áreas do sul da Faixa de Gaza, designadas pelo próprio Israel como “seguras” para refugiados.

Uma igreja ortodoxa grega foi atingida esta sexta-feira. Um prédio perto da igreja - onde segundo fontes palestinianas, centenas de pessoas estavam abrigadas -, desabou.

Israel divulgou um vídeo e diz que o alvo era o centro de comando do Hamas; mas admitiu que a igreja e arredores possam ter sido afetados pela explosão.

A agência das nações unidas para os refugiados (ACNUR) disse que deveria iniciar este sábado a evacuação de cinco escolas, transformadas em abrigos para refugiados, por exigência de Israel.

De acordo com o ACNUR, cerca de 1 milhão de habitantes de Gaza ficaram desabrigados devido aos ataques aéreos; apenas metade deles conseguiu encontrar um abrigo; mais de 20 abrigos foram "danificados" por ataques aéreos.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

EUA pedem a libertação de todos os reféns nas mãos do Hamas

Joe Biden recebe Ursula von der Leyen e Charles Michel na Casa Branca

Israel vai aumentar a intensidade dos ataques aéreos na Faixa de Gaza