EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Imagens de satélite mostram o antes e o depois dos ataques aéreos em Gaza

Esta imagem fornecida pela Maxar Technologies mostra danos em edifícios e estruturas no bairro após o bombardeamento em Beit Hanoun, no norte de Gaza.
Esta imagem fornecida pela Maxar Technologies mostra danos em edifícios e estruturas no bairro após o bombardeamento em Beit Hanoun, no norte de Gaza. Direitos de autor AP/Satellite image ©2023 Maxar Technologies
Direitos de autor AP/Satellite image ©2023 Maxar Technologies
De  Laura LlachSudesh Baniya com AP
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Artigo publicado originalmente em inglês

Filas inteiras de blocos de apartamentos desaparecem nas imagens de satélite reveladas pela empresa de tecnologia espacial Maxar.

PUBLICIDADE

Três semanas após o início dos bombardeamentos das forças israelitas, a empresa de tecnologia espacial Maxar divulgou imagens de satélite que mostram a extensão da destruição em Gaza.

Os ataques aéreos arrasaram bairros inteiros, causando um nível de morte e destruição nunca visto nas últimas quatro guerras entre Israel e o Hamas.

Mais de um milhão de pessoas fugiram das suas casas, tendo muitas delas acatado as ordens israelitas de deslocação para o sul, apesar dos contínuos ataques israelitas em todo o território bloqueado.

Filas inteiras de blocos de apartamentos simplesmente desaparecem nas fotografias, e ficaram reduzidas a manchas de pó e escombros.

A cidade de Beit Hanoun, no norte da Faixa de Gaza. A primeira é uma imagem tirada a 10 de outubro, enquanto a segunda é uma imagem tirada a 21 de outubro.

Outras imagens que mostram diferentes pontos de Gaza foram divulgadas pela Maxar.

Um complexo de 13 arranha-céus à beira-mar, perto do campo de refugiados de al-Shati, na cidade de Gaza, foi reduzido a pó.

Os militares dizem que só atingem alvos militantes e acusam o Hamas de operar entre os civis para proteger os seus combatentes. Os militares israelitas afirmaram que um ataque aéreo matou um dos dois mentores do massacre de 7 de outubro, Shadi Barud, o chefe da unidade de informação do Hamas.

O satélite mostra Atatra, um bairro na cidade de Beit Lahiya, no norte da Faixa de Gaza. A primeira fotografia foi tirada em 10 de maio e a segunda em 21 de outubro.

O bairro de Al Karama, na parte norte da Faixa de Gaza, fica à beira-mar. A fotografia anterior foi tirada a 10 de maio e a posterior a 21 de outubro.

Em Gaza, as reservas de alimentos, medicamentos e combustível para alimentar os geradores de emergência estão a escassear.

A agência das Nações Unidas para os refugiados palestinianos, que presta serviços básicos a centenas de milhares de pessoas incluindo o funcionamento de escolas convertidas em abrigos, disse que poderia ficar sem combustível dentro de dias.

A cidade de Beit Hanoun, no norte da Faixa de Gaza. À direita uma imagem tirada em 11 de maio, à esquerda uma imagem tirada em 21 de outubro.

Nos últimos dias, Israel autorizou a entrada em Gaza de mais de 70 camiões de ajuda humanitária provenientes do Egito através da passagem de Rafah, o único ponto de entrada em Gaza não controlado por Israel.

Mas os trabalhadores humanitários afirmam que os comboios apenas satisfazem uma pequena fração das crescentes necessidades humanitárias do território. Antes da guerra, entravam em Gaza uma média de 500 camiões por dia.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Israel "expande operação no terreno dentro da Faixa de Gaza": ouvem-se bombas

Primeiro-ministro israelita dissolve gabinete de guerra

Netanyahu contra "pausas táticas" para permitir a entrada de ajuda em Gaza