EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

Israel "expande operação no terreno dentro da Faixa de Gaza": ouvem-se bombas

Bombardeamentos iluminam a noite no norte da Faixa de Gaza
Bombardeamentos iluminam a noite no norte da Faixa de Gaza Direitos de autor AP Photo/Abed Khaled
Direitos de autor AP Photo/Abed Khaled
De  Euronews
Publicado a Últimas notícias
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Bombardeamentos intensificam-se e há relatos de confrontos a tiro e com tanques dentro do território controlado pelo Hamas

PUBLICIDADE

O início da operação terrestre foi noticiado pelos media israelitas, que citavam testemunhos palestinianos e o Hamas confirmou "violentos combates" com as forças de Israel.

A incursão teve início no momento em que a Assembleia Geral da ONU votava uma resolução que apela a uma “trégua humanitária” em Gaza, levando à interrupção da guerra Israel-Hamas. 

A resolução, aprovada com 120 votos a favor, 14 contra e 45 abstenções, surge no dia em que o Hamas apelou ao mundo a "agir imediatamente" para acabar com os ataques israelitas no território.

Israel classificou de "infâmia", a resolução da Assembleia Geral da ONU.  Esta sexta-feira, as Forças de Defesa Israelitas (FDI) tinham acusado o Hamas de estar a utilizar os hospitais como centro das operações militares. 

O porta-voz do exército israelita, Daniel Hagari, afirmou: "O Hamas transformou os hospitais em centros de comando e controle e esconderijos para terroristas e comandantes do Hamas. Além disso, posso confirmar que, de acordo com a informação que temos em mãos, há combustível nos hospitais em Gaza. Repito, há combustível nos hospitais de Gaza e o Hamas está a utilizá-lo para a sua infraestrutura terrorista."

O Hamas negou categoricamente as acusações israelitas e acrescentou que nas proximidades do hospital al-Shifa, o maior da Faixa de Gaza, há 40 mil pessoas e que Israel está a preparar “um novo massacre”. 

Segundo o comunicado de imprensa do movimento palestiniano, estas declarações de Telavive pretendem “abrir o caminho para atacar” este hospital onde, segundo o Hamas, 40.000 pessoas deslocadas encontraram refúgio.

Três mil crianças mortas, segundo o Hamas

Desencadeada pelos ataques do Hamas no seu território, a campanha de bombardeamentos israelitas na Faixa de Gaza já matou 7.326 pessoas, incluindo mais de 3.000 crianças, de acordo com o número anunciado esta sexta-feira pelo Ministério da Saúde do Hamas.

As organizações humanitárias alertam diariamente para a situação catastrófica para os cerca de 2,4 milhões de habitantes do pequeno território palestiniano, sujeitos a um bloqueio total desde 9 de outubro.

Apenas alguns comboios humanitários puderam ser transportados desde 21 de outubro, o que é insuficiente, segundo as organizações humanitárias.

Mais de 1.400 pessoas foram mortas do lado israelita desde 7 de outubro, principalmente civis massacrados pelo Hamas nesse dia, segundo os últimos números das autoridades de Israel. Cerca de 230 pessoas terão sido sequestradas pelo Hamas em território israelita.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Caças israelitas atingiram "centenas" de alvos do Hama e operações terrestres estão a ser expandidas

Guerra entre Israel e Hamas: Como é que os mercados financeiros vêem o resultado da crise

Imagens de satélite mostram o antes e o depois dos ataques aéreos em Gaza