Vários países europeus boicotam reunião da OSCE pela presença da Rússia

Foto de família dos ministros dos Negócios Estrangeiros dos países membros da OSCE, reunidos em Skopje, Macedónia do Norte
Foto de família dos ministros dos Negócios Estrangeiros dos países membros da OSCE, reunidos em Skopje, Macedónia do Norte Direitos de autor Saul Loeb/AP
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Antony Blinken passou brevemente por Skopje, mas partiu para Israel antes da chegada de Sergey Lavrov.

PUBLICIDADE

A reunião dos ministros dos Negócios Estrangeiros dos países membros da Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE), que decorre na Macedónia do Norte, está a ser boicotada por vários países.

Os chefes da diplomacia da Estónia, Letónia, Lituânia e Polónia estão a boicotar o evento devido à presença esperada do Ministro dos Negócios Estrangeiros russo, Sergey Lavrov. 

Gabrielius Landsbergis, ministro das Relações Exteriores da Lituânia questiona: “Como se pode discutir a segurança europeia com um Estado que está ideologicamente determinado a destruir esta segurança? Não vejo uma oportunidade para encontrar um compromisso, não vejo uma oportunidade para procurar pontos de acordo e esta é a mesma posição dos ministros dos outros estados bálticos".

O secretário de Estado dos Estados Unidos, Antony Blinken, fez uma breve passagem na capital da Macedónia do Norte, Skopje, para a reunião, mas partiu para Israel antes da chegada de Lavrov.

Blinken acusou a Rússia de “violações flagrante de todos os princípios fundamentais” dos esforços da Guerra Fria para aliviar as tensões leste-oeste que levaram à criação da OSCE, e acusou Moscovo de “esforços incansáveis para obstruir o trabalho da OSCE”.

Na noite de quarta-feira, Sergey Lavrov desembarcou na Macedónia do Norte, que suspendeu brevemente a proibição de voos da Rússia para permitir a sua deslocação. A presença do chefe da diplomacia russa é rara em países membros da NATO desde que a Rússia iniciou a invasão da Ucrânia, em fevereiro de 2022.

As conversações formais nos próximos dois dias centram-se no futuro da organização e nos desafios que enfrenta.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Valeriy Gergiev foi nomeado diretor do teatro Bolshoi de Moscovo

Israel intensifica ataques no centro e sul de Gaza, Blinken inicia nova digressão pelo Médio Oriente

Blinken expressa apoio dos EUA para a criação de um Estado palestiniano