EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Grécia: O que está em jogo nestas eleições para gregos e europeus

Grécia: O que está em jogo nestas eleições para gregos e europeus
Direitos de autor 
De  Francisco Marques com Chris Burns
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
PUBLICIDADE

Os gregos são chamados às urnas este domingo (25 de janeiro) para elegerem um novo Governo. A União Europeia (UE) está em suspenso com o que poderá resultar do escrutínio helénico. O partido de extrema-esquerda Syriza, que em maio passado já venceu as europeias, segue à frente nas sondagens.

A força politica liderada por Alexis Tsipras ganhou popularidade pela constante oposição às medidas de austeridade impostas pela “troika” – Fundo Monetário Internacional, Banco Central Europeu e UE – à Grécia e, em maio passado, já conquistou a vitória nas europeias.

εκλογές στην #Ελλάδα Elections in #Greece on Sunday 25/1.. Why are they so important? http://t.co/YsT2K7hgpkpic.twitter.com/2Ex41WvYuY

— Learning Greek (@OmiloHellas) 21 janeiro 2015

Estas legislativas antecipadas precipitaram-se depois de o Parlamento de Atenas, então liderado pela coligação Nova Democracia-PASOK encabeçada pelo primeiro-ministro Antonis Samaras, ter falhado a eleição de Stavros Dimas para novo Presidente do país.

Na terceira volta da votação parlamentar, o único candidato presidencial não foi além dos mesmos 168 votos da segunda quando precisava do apoio de pelo menos 180 deputados (teve na 160 na primeira ronda). Sem conseguir o Presidente, o Parlamento foi dissolvido e marcada para o próximo domingo a ida dos gregos às urnas para escolher um novo Governo.

Greece's snap elections on January 25th have sparked fears of a euro zone exit. Why the fuss? http://t.co/BTaDiXNsLNpic.twitter.com/AyXp4W9uE4

— The Economist (@TheEconomist) 20 janeiro 2015

Perante as incertezas que se colocam à Grécia, neste momento, e por arrasto ao euro e a toda a União Europeia, o magazine da euronews *The Network” (“A Rede”) convidou para um debate sobre estas legislativas gregas Dimitrios Papadimoulis, vice-presidente do Parlamento Europeu e membro do Syriza; Guy Verhofstadt, presidente dos Liberais e Democratas também no Parlamento Europeu e antigo primeiro ministro belga; e ainda Zsolt Darvas, membro destacado da conceituada consultora Bruegel, sediada em Bruxelas. Tudo numa semana em que a delegação da euronews em Atenas se tem desdobrado em rubricas especiais em torno das eleições.

RT IKaragiorgas</a>: Greece decides - <a href="https://twitter.com/john_milios">john_milios of SYRIZA talks to euronews</a> in English (vid) <a href="http://t.co/nd6YALoWQd">http://t.co/nd6YALoWQd</a> <a href="http://t.co/Kvy1nyvhkT">pic.twitter.com/Kvy1nyvhkT</a></p>&mdash; euronews (euronews) 21 janeiro 2015

Papadimoulis garante que o Syriza não vai cortar os laços da Grécia com a União Europeia, garantiu-nos que o partido está “prontos para conversar, negociar e encontrar uma solução de compromisso baseada, por exemplo, nas propostas da Bruegel”. “A nossa prioridade é retomar o crescimento”, garantiu o vice-presidente do Parlamento Europeu.

Zsol Darvas, pela consultora, antevê “negociações duras” entre os dois maiores partidos e a “troika” e admite poder surgir uma terceira via no horizonte grego com uma surpresa chamada To Potámi (“O Rio”), o partido que defende, tal como a Bruegel, o “prolongamento da maturidade dos empréstimos” e que tem vindo a subir nas sondagens.

Compared to #Ireland, #Portugal and #Spain, #Greece is an exception, says GuntramWolff</a> <a href="http://t.co/Mnczp8wWLe">http://t.co/Mnczp8wWLe</a> <a href="http://t.co/1r1bhmNk6y">pic.twitter.com/1r1bhmNk6y</a></p>&mdash; Bruegel (Bruegel_org) 11 janeiro 2015

Guy Verhofstadt revela receio pelas ondas de choque que o resultado destas legislativas gregas podem provocar junto do euro e de toda a UE, considerando a situação perigosa quando confrontado com a reação, por exemplo, de Itália, França e Portugal a uma eventual uma folga da “troika” à Grécia.

Any talk of #grexit should cease – debate on how southern EU countries can grow should intensify #ekloges2015http://t.co/vGm5VhZGEf

— Guy Verhofstadt (@GuyVerhofstadt) 15 janeiro 2015

O eurodeputado dos Liberais e Democratas falou do programa europeu de estímulo à inovação Horizonte 2020, que prevê o investimento de perto de 80 mil milhões de euros em sete anos em novos projetos e o qual vai ajudar pelo menos seis pequenas e médias empresas portuguesas entre quase 120 entre os “28.”

Moedas to investigate alternatives to EU chief science adviser – Science Business: Moedas to investigate alter… http://t.co/av6YYSAHt3

— Horizon2020 Partners (@H2020Partners) 15 janeiro 2015

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Alternativa ao lítio: Pode o manganésio substituir as baterias de lítio dos veículos elétricos?

Banco Central Europeu corta taxas de juro em linha com as expetativas do mercado

Riqueza das nações: o fosso cada vez maior entre ricos e pobres na Europa