EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

China anuncia abertura das empresas estatais ao capital privado

China anuncia abertura das empresas estatais ao capital privado
Direitos de autor 
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

Lusa — A China vai promover a propriedade mista e a entrada de capital privado nas empresas estatais, anunciaram esta segunda-feira as autoridades

PUBLICIDADE

Lusa — A China vai promover a propriedade mista e a entrada de capital privado nas empresas estatais, anunciaram esta segunda-feira as autoridades, numa altura em que a segunda maior economia do mundo estuda um novo modelo de crescimento.

“Queremos criar condições para que as empresas estatais participem no mercado como entidades independentes e em igualdade de condições”, disse Zhang Xiwu, vice-presidente da Comissão Para a Supervisão de Ativos do Estado, numa conferência em Pequim.

Elaborado pelo Comité Central do Partido Comunista chinês e pelo Conselho de Estado, o plano de reforma visa que os grupos estatais sejam “independentes e responsáveis pelos ganhos, perdas e riscos”.

China emite directrizes para promover liberalização do sector estatal http://t.co/RB8s660fDVpic.twitter.com/slcLNBYA58

— Diário Económico (@diarioeconomico) 14 setembro 2015

No conjunto, o pacote de medidas vai afetar 150.000 empresas, que detêm um total de 100 mil milhões de yuan (13.81 mil milhões de euros) em ativos e empregam cerca de 30 milhões de pessoas. A reforma inclui um sistema de salários “flexível”, com base no mercado e em resultados.

Os grupos estatais detêm um papel central no modelo económico assente no investimento, que tem assegurado o crescimento da China num período de estagnação global, mas que é agora denominado pela liderança do país como “insustentável”.

A rentabilidade dos ativos, – indicador que mede a capacidade da empresa em gerar resultados – no setor estatal chinês, é inferior ao custo do capital, enquanto o setor privado criou quase todos os empregos urbanos na China na última década, concluiu um estudo do The Economist.

“Vai ser uma transição dolorosa e um processo sinuoso”, avisou o presidente chinês, Li Keqiang, na última semana, sobre a remodelação da economia.

New week, same China – Monday's markets news so far http://t.co/0belIQeY3v (via markbartontv</a>) <a href="http://t.co/iUBfxfNCRP">pic.twitter.com/iUBfxfNCRP</a></p>&mdash; Bloomberg Business (business) 14 setembro 2015

No primeiro semestre de 2015, o Produto Interno Bruto chinês subiu 7 por cento, face a 2014 — o valor mais baixo desde 2009 —, exatamente dentro da meta fixada pelo Governo.

Em 2012, duas empresas estatais diretamente tuteladas pelo governo central chinês compraram posições em Portugal: a China Three Gorges pagou 2,7 mil milhões de euros por 21,35 por cento do capital da EDP; enquanto a State Grid adquiriu 25 por cento do capital da REN por 287 milhões de euros.

Este ano, uma subsidiária da Haitong Securities, empresa financeira estatal com sede em Xangai, concluiu a compra da totalidade do capital do Banco Espírito Santo de Investimento (BESI), ao Novo Banco, por 379 milhões de euros.

Chinese state-owned enterprises to ride new reform wave http://t.co/IPAqrxqqaUpic.twitter.com/udtm5DtVqy

— China Xinhua News (@XHNews) 14 setembro 2015

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Comissário europeu para a Economia sem arrependimentos apesar da reação negativa ao Pacto Ecológico

Comissão Europeia prevê descida da inflação apesar do aumento do preço do petróleo

Habitação na Europa: é maior o número de proprietários ou de arrendatários?