A guerra financeira por detrás do referendo britânico

A guerra financeira por detrás do referendo britânico
De  Patricia Cardoso com reuters, Comissão Eleitoral britânica
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Nas sondagens, os defensores e opositores da permanência do Reino Unido na União Europeia estão praticamente empatados, mas é o campo do “Brexit” que ganha ao nível financeiro, e isto desde…

PUBLICIDADE

Nas sondagens, os defensores e opositores da permanência do Reino Unido na União Europeia estão praticamente empatados, mas é o campo do “Brexit” que ganha ao nível financeiro, e isto desde fevereiro.

Segundo a Comissão Eleitoral britânica, os grupos do “Brexit” recolheram 3,6 milhões de libras (4,6 milhões de euros) em donativos entre 13 de maio e 9 de junho.

No mesmo período, os grupos do “Remain” receberam 2,9 milhões de libras (3,7 milhões de euros).

Desde 1 de fevereiro, a Comissão Eleitoral registou um total de 27,4 milhões de libras (35,6 milhões de euros) em donativos para ambas as partes.

A isto juntam-se 600 mil libras (781 mil euros) de fundos públicos para cada uma das campanhas e 6 milhões de libras (7,8 milhões de euros) em empréstimos e facilidades de crédito.

Pode ver aqui os detalhes de cada donativo registado junto da Comissão Eleitoral.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

A guerra entre Israel e o Hamas está a afetar a economia israelita

Mercado único europeu coloca objetivos ecológicos e digitais no centro das atenções em 2024

Comissão Europeia revê em baixa previsões de crescimento económico