EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

BCE deixa as taxas de juro inalteradas

BCE deixa as taxas de juro inalteradas
Direitos de autor AP Photo
Direitos de autor AP Photo
De  Euronews com AP
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Esta quinta-feira, depois de uma reunião sobre política monetária, a presidente do BCE sublinhou a determinação do banco em persistir com uma política de apoio

PUBLICIDADE

Perante o mal-estar com a propagação de uma variante mais contagiosa do coronavírus, o Banco Central Europeu decidiu manter as taxas de juro em mínimos históricos.

A autoridade monetária para os 19 países que utilizam o euro disse que não recuaria nos seus esforços para apoiar a economia mesmo que isso resultasse num período "transitório" de inflação moderadamente acima do objetivo.

Esta quinta-feira, depois de uma reunião sobre política monetária, a presidente do BCE sublinhou a determinação do banco em persistir com uma política de apoio. 

Christine Lagarde disse que recuperação da economia da zona euro está no bom caminho e lembrou que há cada vez mais pessoas vacinadas e menos restrições ao confinamento na maioria dos países do grupo. No entanto, Lagarde sublinhou que a pandemia continua a lançar uma sombra, especialmente porque a variante Delta representa uma fonte crescente de incerteza

Neste momento, as preocupações na Europa concentram-se na propagação da nova variante. O número de casos aumentou acentuadamente em vários países. 

Os números de casos são baixos mas estão a aumentar na Alemanha, a maior economia da zona euro. A taxa de casos de sete dias duplicou em apenas 12 dias; 48% da população foi totalmente vacinada, mas o ritmo da vacinação abrandou.

Os economistas dizem que o facto de mais pessoas estarem agora vacinadas pode atenuar o impacto económico da variante Delta. Mas pode atrasar a recuperação se levar a novas restrições inesperadas e tornar os consumidores mais cautelosos.

A comissão executiva da União Europeia prevê um crescimento de 4,8% este ano, após um mergulho de 6,5% no ano passado.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Inflação atinge 3% em agosto na zona euro

BCE rejeita sugestão para perdoar dívida

BCE avalia recuperação económica na Europa