Guerra e sanções preocupam exportadores de vinho para a Rússia

Vinhos portugueses na Rússia
Vinhos portugueses na Rússia Direitos de autor RTP
De  Ricardo Figueira com RTP
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Portugal, quinto maior exportador de vinho para a Rússia, teve uma presença de peso na maior feira alimentar do país. Clima é de entusiasmo, mas também de apreensão.

PUBLICIDADE

A perspetiva de uma guerra em larga escala na Ucrânia e de sanções reforçadas à Rússia está a amedrontar muitos atores económicos europeus que têm na Rússia um dos maiores mercados de exportação. É o caso dos exportadores de vinho, nomeadamente de Portugal, cuja posição tem vindo a crescer. Prova disso é a presença em peso na edição deste ano da Prodexpo, a maior feira alimentar da Rússia, em Moscovo.

Casimiro Alves, exportador de vinhos presente no evento, explica: "Neste momento, a Rússia é o nosso maior mercado e representa cerca de 30% das nossas vendas para o exterior. Vendemos cá vários milhões de garrafas. A haver sanções, isso prejudicaria o negócio".

Vendemos vários milhões de garrafas na Rússia. A haver sanções, isso prejudicaria o negócio.
Casimiro Alves
Exportador de vinho

A Prodexpo 2022, primeira edição desde o início da pandemia de Covid-19, contou com 29 produtores de vinho portugueses. Muitos sairam de lá com distinções.

O medo de novas sanções mistura-se com o entusiasmo pelo bom momento que o vinho português vive na Rússia. Luís Mira, secretário-geral da Confederação de Agricultores de Portugal (CAP), responsável pela delegação portuguesa, adianta alguns valores: "Os números são muito animadores, Portugal é o quinto país a exportar para a Rússia, portanto é impressionante, especialmente para os vinhos verdes, que têm aqui um grande mercado. Para muitas empresas, o primeiro mercado é o mercado russo".

Portugal é o quinto país a exportar para a Rússia, portanto é impressionante, especialmente para os vinhos verdes, que têm aqui um grande mercado.
Luís Mira
Secretário-geral da CAP

Uma quinta posição que coloca Portugal apenas atrás de França, Itália, Espanha e Chile. No caso dos três primeiros, também membros da União Europeia, os receios são os mesmos.

Segundo dados de 2020 da Wine Intelligence, o consumo de vinho na Rússia tem crescido mais de 13% ao ano, todos os anos, desde 2015.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Vendas batem recordes nos vinhos do Douro

"Os cidadãos dos EUA devem sair já" da Ucrânia: O alerta de Biden aos compatriotas

Mercedes-Benz recolhe 250 000 veículos devido a risco de incêndio