Putin fala ao telefone com Biden e Macron

Putin fala ao telefone com Biden e Macron
Direitos de autor AP Photo
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O presidente russo falou este sábado ao telefone com Joe Biden e Emmanuel Macron sobre a crise da Ucrânia. Ocidente espera desescalada da tensão

PUBLICIDADE

Vladimir Putin falou este sábado ao telefone com Joe Biden e Emmanuel Macronsobre a crise na Ucrânia.

O presidente francês terá dito ao homólogo russo que "um diálogo sincero não é compatível com uma escalada".

No final da conversa com Biden, as notícias são as mesmas: os serviços secretos norte-americanos acreditam que a Rússia está a considerar a próxima quarta-feira como data alvo de uma invasão. A informação é de um funcionário, familiarizado com as conclusões, que falou sob anonimato.

Washington tem vindo a afirmar que o ataque pode acontecer a qualquer momento, apesar de Moscovo negar e de Kiev apelar à calma.

A Embaixada dos EUA em Kiev ordenou a partida da maior parte do seu pessoal e diversos países ocidentais estão também a pedir aos seus cidadãos que abandonem a Ucrânia, num clima ainda mais angustiado pelo anúncio da Rússia de redução do seu pessoal diplomático por receio de, citamos, "provocações de Kiev ou do Ocidente".

Na capital da Ucrânia houve protestos e apelos à resistência, enquanto o presidente, Volodymyr Zelenskij, assistiu logo de manhã aos exercícios de treino da polícia.

Para já, os esforços diplomáticos prosseguem para garantir que os 100.000 soldados que a Rússia enviou para as fronteiras ucranianas não desencadeiam um ataque.

A Rússia iniciou já este sábado manobras navais de grande envergadura no Mar Negro.

Enquanto prossegue manobras militares em terra e no mar, a Rússia denuncia aquilo a que chama de "histeria americana"e acusa Washington de querer desencadear a guerra.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Guerra e sanções preocupam exportadores de vinho para a Rússia

Rússia mantém vaga de bombardeamentos sobre leste da Ucrânia

Rússia declara correspondente da BBC de “agente estrangeiro”