Iniciativas da União Europeia para combater o desemprego jovem

Em parceria com The European Commission
Iniciativas da União Europeia para combater o desemprego jovem
Direitos de autor euronews
De  Naomi Lloyd
Partilhe esta notícia
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Bruxelas estipula 2022 como o Ano da Juventude e cria várias iniciativas para permitir que os jovens tenham acesso ao emprego, após os sacrifícios provocados pela pandemia da Covid-19

A União Europeia declarou 2022 o Ano da Juventude dizendo ser em reconhecimento dos sacrifícios que a geração mais jovem fez durante a pandemia da Covid-19.

Como parte do Ano da Juventude, estão planeadas atividades, conferências e iniciativas para os jovens em todos os países da UE. Haverá uma atenção especial para os jovens com menos oportunidades. Serão feitos, também, esforços acrescidos para incluir as prioridades da juventude em áreas políticas relevantes dos 27 e no processo de tomada de decisão da União Europeia.

A iniciativa emblemática do Ano da Juventude é o programa ALMA que oferece aos jovens, de meios desfavorecidos e que não têm um emprego, a oportunidade de terem uma experiência de trabalho em outros Estados-membros.

Há quantos jovens desempregados na União Europeia?

O desemprego jovem está a diminuir, mas esta faixa etária tem, ainda, o dobro da probabilidade de ficar desempregada (14%) em comparação com a média da população em idade ativa (6,2%).

12,7% dos jovens entre os 15-29 anos não estudam, não trabalham, nem seguem uma formação; são conhecidos como NEETs. Trata-se de nove milhões de jovens.

O que é a Garantia para a Juventude?

Para ajudar a ultrapassar a clivagem e conduzir os jovens para o mercado de trabalho, a Garantia para a Juventude, da UE, garante que todos os jovens com menos de 30 anos, e que se inscrevam, receberão, no prazo de quatro meses, uma oferta de emprego, aprendizagem, educação, ou formação.

Desde a sua adoção em 2013, mais de três milhões de jovens aceitaram uma oferta todos os anos, o que significa que 36 milhões de pessoas foram já beneficiadas.

De acordo com os dados disponíveis, desde 2014, em média, mais de metade dos jovens europeus que beneficiaram da Garantia para a Juventude, conseguiram encontrar um emprego, um curso ou uma formação seis, 12 ou 18 meses depois.

A Garantia para a Juventude Reforçada, alargou a sua oferta de jovens dos 15-25 anos para os 15-29 anos. Tem como objetivo ajudar os mais desfavorecidos e assegurar que estes possuem as competências adequadas para as transições digitais e verdes.

Partilhe esta notícia

Notícias relacionadas

Multinacionais comprometem-se a contratar milhares de refugiados

Inflação abranda na União Europeia

Como melhorar os esquemas de rendimento mínimo na UE?