Países Baixos recusam dependência energética da Rússia

A Gazprom cortou o fornecimento de gás aos Países Baixos.
A Gazprom cortou o fornecimento de gás aos Países Baixos. Direitos de autor Peter Dejong/AP 2018
De  Euronews com AP
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A Gazprom fecha a torneira aos Países Baixos porque o país recusa pagar o gás em rublos.

PUBLICIDADE

A Gazprom fecha a torneira aos Países Baixos esta terça-feira porque o país recusa pagar o gás em rublos. O governo de Haia não quer depender energeticamente da Rússia, nem financiar a invasão do Kremlin à Ucrânia, uma posição que foi reiterada pelo ministro do Clima e Energia dos Países Baixos, Rob Jetten.

O governante reiterou o facto dos preços da energia serem elevados para todo o mercado mundial e reconheceu que a guerra na Ucrânia não "facilita as coisas".

"Não queremos continuar a depender do gás russo, nem alimentar o tesouro de guerra de Putin"
Rob Jetten
Ministro do Clima e Energia dos Países Baixos

Na mesma situação, encontra-se a Dinamarca, que pode vir a ficar sem gás russo. A Orsted, maior empresa de gás do país, também se vai alinhar com as sanções impostas pela União Europeia. Os dois países juntam-se à Polónia, Bulgária e Finlândia, que já viram o abastecimento da Gazprom cortado, por recusa no pagamento na moeda russa.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Festival do Arenque de volta aos Países Baixos

Governo dos Países Baixos quer redução drástica de emissões poluentes

Rússia avança no Donbass