EventsEventos
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

"Diversidade unida" em Berlim

"Diversidade unida" em Berlim
Direitos de autor AP Photo
Direitos de autor AP Photo
De  Teresa Bizarro
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Exposição inclui artistas de 34 países

PUBLICIDADE

Tempelhof foi um dos mais icónicos aeroportos da Europa. Desativado em 2008, é agora espaço para eventos desportivos e artísticos. Construído durante o regime nazi, foi a ponte entre Berlim e o Ocidente, após a construção do Muro. Hoje é palco para "Diversity United", uma exposição de artistas europeus, organizada por uma associação russo-alemã. O subtexto não é escondido.

"Podemos mostrar a exposição neste local historicamente apropriado - aqui no antigo aeroporto de Tempelhof, Hangar Dois, em Berlim. Este é o local onde, há 60 anos, os Aliados forneciam comida aos berlinenses. Hoje, estamos a fornecer ao mundo um novo tipo de bens essenciais - a criatividade dos artistas," diz Walter Smerling, diretor da Fundação Arte e Cultura (Stiftung Kunst und Kultur).

A exposição devia ter sido inaugurada em Moscovo, em novembro do ano passado, mas também aqui o calendário foi mudado pela pandemia. O percurso mistura grandes nomes, como An-selm Kiefer, Paula Rego e Gilbert & George, com artistas emergentes.

"Temos 90 artistas de 34 países europeus. A exposição "Diversity United" é uma tentativa de contar as histórias das diferentes partes da Europa num sentido figurativo. Cada país tem a sua história, os seus problemas, a sua cultura. E os artistas refletem os nossos problemas e questões e tudo o que nos diz respeito," explica Walter Smerling.

"Diversity United" - Diversidade Unida - pode ser vista, em Berlim, até 19 de Setembro

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

"Inovação artística e social" na edição 2021 da Bienal da Dança de Lyon

Art Paris 2024: a cena artística francesa no centro das atenções, com jovens talentos em destaque

Andrey Gugnin recebe o primeiro prémio de 150.000€ no Concurso Internacional de Piano Clássico 2024