EventsEventosPodcast
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Grécia dispõe de três meses para corrigir falhas com impacto na crise migratória

Grécia dispõe de três meses para corrigir falhas com impacto na crise migratória
Direitos de autor 
De  Pedro Sacadura
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

A Grécia dispõe de três meses para corrigir deficiências “graves” com impacto na crise migratória que asfixia o velho continente. A decisão foi

PUBLICIDADE

A Grécia dispõe de três meses para corrigir deficiências “graves” com impacto na crise migratória que asfixia o velho continente.

A decisão foi adotada esta sexta-feira pelos Estados-membros da União Europeia durante uma reunião dos ministros europeus da Economia e Finanças (Ecofin), em Bruxelas, mas contou com o voto contra da Grécia e com a abstenção de Chipre.

Atenas é chamada a apresentar um plano de ação em 30 dias destinado a solucionar as falhas e a divulgar, mais tarde, um relatório de execução.

Se a Grécia não superar os problemas elencados num relatório adotado pela Comissão Europeia, como o registo e recolha adequada de impressões digitais, entre outros, o executivo comunitário pode propor a reintrodução dos controlos fronteiriços dentro do espaço Schengen por até dois anos.

Os Estados-membros lembram, de forma preocupante, que “o funcionamento global do espaço Schengen está em risco” e que “é preciso agir com urgência.”

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Aumenta pressão sobre a Grécia no âmbito da gestão da crise migratória

Marc Pierini: "UE comprometeu-se numa diplomacia mercantil com a Turquia"

CE renova apelos à Turquia para abertura de fronteira a refugiados sírios