Aliança com populistas é uma tendência em crescimento

Aliança com populistas é uma tendência em crescimento
De  Isabel Silva
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
PUBLICIDADE

A reforma das políticas de migração e asilo da União Europeia é uma das prioridades anunciadas para 2018. A nova coligação austríaca entre conservadores e extrema-direita poderá ser decisiva no rumo a tomar.

Este tipo de aliança, que era raro, poderá tornar-se cada vez mais comum na Europa, segundo Benjamin Biard, professor na Universidade Católica de Lovaina.

“De facto, existe uma tendência para uma melhoria das relações com estes partidos de extrema-direita. Pouco a pouco, poderão ser criadas mais alianças deste género a nível nacional e, também, alianças similares a nível supranacional ou europeu”, disse à euronews.

Austria’s new government plans to cut child benefits abroad https://t.co/4mKf5CjUOApic.twitter.com/GACaxun5lC

— Reuters Top News (@Reuters) January 4, 2018

A Áustria defende agora uma política mais securitária, tal como os países do grupo de Visegrado, composto por Polónia, Hungria, República Checa e Eslováquia.

A extrema-direita não chegou ao poder em França, Holanda ou Alemanha mas esses partidos continuam muito mobilizados para “cavalgar” a chamada onda populista, que poderá ameaçar o espírito de solidariedade na União Europeia.

O debate começa já, sendo que a Áustria assumirá a presidência rotativa do bloco no segundo semestre do ano.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Nicolas Schmit nomeado cabeça de lista pelos socialistas para as eleições europeias

Euronews em força nas eleições europeias que vão marcar uma era

O que faz o Parlamento Europeu?