EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Bruxelas pede explicações a Mark Zuckerberg

Bruxelas pede explicações a Mark Zuckerberg
Direitos de autor 
De  Nara Madeira
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

O escândalo da alegada utilização de dados de utilizadores do Facebook para fins políticos levou a UE a convidar Zuckerberg a explicar-se.

PUBLICIDADE

Bruxelas convidou Mark Zuckerberg para ir explicar, aos eurodeputados, a alegada utilização indevida de informação de utilizadores do Facebook para ajudar Donald Trump a ganhar as presidenciais norte-americanas. Comissão e Parlamento europeus condenam esta ação se se confirmar que, de facto, aconteceu.

"Do nosso lado, continuamos por um lado a seguir este caso, por outro a afirmar alto e claro que para nós a proteção de dados pessoais é um valor inegável da União Europeia. E com as ferramentas de que dispomos faremos das palavras atos", explica Mariya Gabriel, comissária europeia para a Economia e Sociedade Digital.

Através da sua conta de Twitter a comissária europeia para a Justiça e consumidores afirma que a confirmar-se esta situação é "horrível", adianta a comissária europeia encarregada da Justiça e dos Consumidores, Věra Jourová.

Já o presidente do Parlamento Europeu, Antonio Tajani, acrescenta que uma violação desta índole é inaceitável e garante que serão pedidas contas às plataformas digitais".

Mas este tipo de situações trás muitos perigos:

"Detetámos que há, pelo menos 52 mil padrões segundo os quais somos classificados. O que significa que se eles foram bem-sucedidos sabem mais sobre si do que imagina, mas esta padronização pode ser feita de forma errada. E as empresas vão discriminá-lo, tratá-lo de maneira diferente, de uma forma que não corresponde à sua personalidade", explica Giovanni Buttarelli, Supervisor da Proteção Europeia de Dados.

Entretanto o Presidente da empresa Cambridge Analytica, que está no centro deste escândalo, foi suspenso pelo conselho de administração.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Cambridge Analytica revistada durante a noite

Starmer inicia reconciliação com UE: "Restabelecer relações, redescobrir interesses comuns"

"Porque é que havemos de considerar uma pessoa assim? Zelenskyy rejeita a "missão de paz" de Orbán