EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Bruxelas apresenta plano para transportes não poluentes

Bruxelas apresenta plano para transportes não poluentes
Direitos de autor ARIS OIKONOMOU/AFP
Direitos de autor ARIS OIKONOMOU/AFP
De  Isabel Marques da SilvaGregoire Lory
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Os transportes são responsáveis ​por 25% das emissões totais de gases com efeito de estufa na União Europeia e esta poluição aumentou nos últimos anos.

PUBLICIDADE

Transformar em profundidade os hábitos dos cidadãos europeus em termos de utilização dos transportes. Esta é a ambição da Comissão Europeia para ajudar a alcançar a neutralidade de emissões de CO2 em 2050, permitindo à natureza absorvê-las sem causar aquecimento global.

Este setor terá de reduzir as emissões de gases com efeito estufa em 90%, nas próximas três décadas. Existem planos para várias etapas:

Até 2030

  • 100 cidades europeias terão emissões de gases que serão neutras para o clima
  • O tráfego ferroviário de alta velocidade duplicará em toda a Europa
  • O transporte marítimo sem emissões poluentes estará em funcionamento

Até 2035

  • Os aviões de grande porte sem emissõs poluentes entrarão no mercado

Até 2050

  • Quase todos os autmóveis, autocarros e camiões também serão neutros em emissões.
  • O tarnsporte de carga por via ferroviária duplicará

A comissária europeia para os Transportes, Adina Vălean, defende este calendário alargado porque uma transformação tão profunda requer ajustes por parte de toda a sociedade e muito investimento.

“No que se refere a incentivar a adoção de veículos de emissões poluentes muito baixas ou nulas estamos a falar de 30 milhões de automóveis e 80 mil camiões até 2030", referiu a comissária.

"Para aí chegar precisamos de novas infra-estruturas e pontos de recarga elétrica. Até 2025, queremos ter disponíveis um milhão de pontos de recarga elétrica e em 2030 pretendemos chegar aos três milhões", acrescentou Adina Vălean.

Do papel para a realidade

A organização não-governamental Transportes e Meio Ambiente considera as propostas interessantes, mas questiona se há meios para as fazer sair do papel.

“É ambicioso. Aborda todos os meios de transporte, que devem de deixar de ser poluentes o mais rapidamente possível. Há muitas ideias interessantes na estratégia, mas estamos apenas no início do trabalho. É preciso trabalhar muito nos detalhes", argumentou Andrew Murphy, especialista em aviação nesta organização.

"Por exemplo, vejamos o setor da aviação. A Comissão Europeia disse que os aviões deverão usar combustíveis ambientalmente mais sustentáveis. Mas não sabemos ainda que tipos de combustível vão usar. Serão biocombustíveis com base em plantações com péssimo impacto em termos climáticos? Ou irão desenvolver novos tipos de combustíveis baseados em fontes energéticas realmemente renováveis? Muito terá de ser decidido em 2021", acrescentou.

Os transportes são responsáveis ​por 25% das emissões totais de gases com efeito de estufa na União Europeia e esta poluição aumentou nos últimos anos.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Políticas de transporte mais inclusivas são prioridade

Eliminar a poluição atmosférica é prioritário para as cidades europeias

Eleitores da minoria russa na Estónia prontos a votar nas próximas eleições europeias