Quais são os países mais afetados pela crescente crise da obesidade?

Obesidade
Obesidade Direitos de autor Canva
De  Servet Yanatma
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Artigo publicado originalmente em inglês

Os dados revelam que um em cada seis europeus é obeso e mais de 50% dos adultos têm excesso de peso. As taxas variam de país para país, mas onde é que o problema é mais grave?

PUBLICIDADE

A obesidade representa um desafio crescente na Europa, com um em cada seis cidadãos da União Europeia (UE) classificados como obesos e mais de metade dos adultos do bloco com excesso de peso.

A obesidade é um grave problema de saúde pública, uma vez que aumenta o risco de doenças crónicas como a hipertensão, a diabetes, as doenças coronárias e certos tipos de cancro.

Em média, na UE, o excesso de peso e a obesidade reduzem a esperança de vida em quase três anos, de acordo com o relatório da Organização de Cooperação e de Desenvolvimento Económicos (OCDE).

Estimativas recentes sugerem também que o excesso de peso e a obesidade causam mais de 1,2 milhões de mortes por ano na região europeia da Organização Mundial de Saúde (OMS), que inclui 53 países.

O relatório "European Regional Obesity Report 2022" da OMS mostra que a obesidade é a quarta maior causa, depois da hipertensão arterial, dos riscos alimentares e do tabaco, correspondendo a mais de 13% do total de mortes.

O índice de massa corporal (IMC) é largamente aceite como a medida mais útil de obesidade para adultos (com 18 anos ou mais) quando apenas estão disponíveis dados sobre o peso e a altura.

Trata-se de uma medida que relaciona o peso com a altura de uma pessoa.

A tabela mostra a classificação dos resultados do IMC da OMS:

● < 18,50: abaixo do peso;

● 18,50 - < 25,00: normal;

● >= 25,00: excesso de peso;

● >= 30,00: obesidade.

Como é que as taxas de obesidade e excesso de peso variam na Europa? Que países têm as populações mais obesas? E quais são as razões subjacentes à obesidade?

Mais de metade dos adultos na UE têm excesso de peso

Em 2019, 44,8% dos adultos que viviam na UE tinham um peso normal, enquanto mais de metade (52,7%) tinham excesso de peso e 2,5% tinham peso a menos, medido pelo seu IMC, de acordo com o Eurostat, o serviço oficial de estatística da UE.

O excesso de peso divide-se em dois grupos principais, nomeadamente os pré-obesos e os obesos. 

A proporção de pessoas com excesso de peso varia significativamente na UE.

Percentagem mais elevada de adultos com excesso de peso na Croácia e em Malta

A Croácia e Malta (ambos com 64,8%) registaram a percentagem mais elevada de pessoas com excesso de peso na UE. Quase duas em cada três pessoas foram consideradas com excesso de peso nestes países.

Quando se inclui a Associação Europeia de Comércio Livre (EFTA) e dois países candidatos à UE, seguem-se a Islândia, a Chéquia e a Hungria, onde a taxa de excesso de peso era igual ou superior a 60%.

PUBLICIDADE

Taxas de excesso de peso mais baixas em Itália e França

A proporção mais baixa de pessoas com excesso de peso foi registada em Itália (45,7%), França (47,2%) e Luxemburgo (48,4%). Estes foram os únicos países com uma taxa de excesso de peso inferior a 50%.

Um em cada seis adultos na UE é obeso

Analisando os pormenores relativos aos adultos com excesso de peso, 16,5%  eram obesos - cerca de um em cada seis - e 36,2% eram pré-obesos na UE.

Em 2019, a percentagem de obesos variou entre 10,9% na Roménia e 28,7% em Malta.

Pelo menos um em cada cinco adultos era obeso em 12 dos 33 países da Europa.

Obesidade nos "Quatro Grandes" da UE e no Reino Unido

A taxa de obesidade era de 21% no Reino Unido (dados de 2017). Nas chamadas "Quatro Grandes" economias da UE, a Alemanha (19%) apresentava a taxa de obesidade mais elevada, seguida da Espanha (16%), da França (15%) e da Itália (11,7%).

PUBLICIDADE

A prevalência da obesidade está a aumentar

Nas últimas duas décadas, a prevalência da obesidade aumentou na UE, de acordo com o relatório "Health at a Glance: Europa 2020" da OCDE.

Entre os 18 países da UE com dados disponíveis desde cerca de 2000, a taxa média de obesidade aumentou de 11% em 2000 para 15% em 2008 e 17% em 2018.

Porque é que as taxas de excesso de peso e de obesidade variam significativamente?

Não existe uma resposta simples para explicar a variação das taxas. Um artigo intitulado "Prevalência de excesso de peso e obesidade em adultos em 20 países europeus, 2014", publicado no European Journal of Public Health, concluiu que a prevalência geral era mais elevada nos países da Europa de Leste em comparação com os países do centro e do norte.

A prevalência do excesso de peso e da obesidade estava relacionada com as características socioeconómicas. O baixo estatuto socioeconómico é descrito como estando associado à obesidade.

A taxa de excesso de peso foi mais elevada nos homens do que nas mulheres em todos os países

O género é uma variável significativa na explicação das taxas de excesso de peso. Nos 33 países europeus, a taxa de excesso de peso é mais elevada nos homens do que nas mulheres.

PUBLICIDADE

Na UE, 60,2% dos homens tinham excesso de peso, ao passo que esta taxa era de 45,7% nas mulheres.

A percentagem de mulheres obesas era superior à dos homens em vários países

Quando olhamos para a obesidade por género, temos uma história diferente da do excesso de peso.

Em 2019, não se registou uma diferença sistemática entre os sexos no que diz respeito à percentagem de homens e mulheres obesos.

Na UE, a taxa de obesidade era de 16,8% nos homens, enquanto era ligeiramente inferior nas mulheres (16,3%).

A proporção mais elevada de homens obesos (30,6%) e de mulheres (26,7%) foi registada em Malta.

PUBLICIDADE

A percentagem de excesso de peso aumenta geralmente com a idade

Excetuando as pessoas com 75 anos ou mais, quanto mais velho for o grupo etário, mais elevada é a percentagem de pessoas com excesso de peso na UE.

O grupo etário dos 18 aos 24 anos registou as percentagens mais baixas de pessoas com excesso de peso (25%), enquanto o grupo dos 65 aos 74 anos registou as percentagens mais elevadas (65,7%).

O mesmo acontece com a taxa de obesidade (6% vs. 22%).

O nível de educação é importante para o excesso de peso e a obesidade

Também existe um padrão claro para o nível de escolaridade. As proporções de pessoas com excesso de peso e obesas diminuem à medida que o nível de educação aumenta na UE.

Em 2019, a percentagem de adultos com excesso de peso entre as pessoas com um nível de educação baixo era de 59%, enquanto era de 54% para as pessoas com um nível de educação médio e 44% para os adultos com um nível de educação elevado.

PUBLICIDADE

Do mesmo modo, 20% dos adultos com um nível de escolaridade baixo, 17% com um nível de escolaridade médio e 11% dos adultos com um nível de escolaridade elevado eram obesos na UE.

Causas da obesidade e sugestões para travar o aumento

De acordo com o relatório da OCDE, o aumento da prevalência da obesidade é impulsionado por vários fatores comportamentais e ambientais. Estes incluem a urbanização, o aumento do comportamento sedentário e a disponibilidade e comercialização generalizadas de alimentos de elevado valor energético.

"Os grupos socialmente desfavorecidos estão particularmente expostos ao risco de se tornarem obesos, quer devido a hábitos alimentares menos saudáveis, quer devido à falta de atividade física", refere o relatório.

"A obesidade é uma doença complexa e multifatorial", escreveu Hans Kluge, Diretor Regional da OMS para a Europa, no relatório. Isto significa que nenhuma intervenção isolada pode travar o aumento da crescente epidemia de obesidade.

Pode calcular facilmente o seu IMC no sítio Web do NHS e verificar se tem excesso de peso.

PUBLICIDADE
Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Viver perto de bares e locais de fast-food pode ser mau para a saúde do coração, diz estudo

Consumo diário de carne e alimentos processados ligado à doença de Alzheimer

Poderão os rótulos de advertência ao estilo dos cigarros reduzir o consumo de carne?